Dia-a-dia, Histórias

Escrever na rua

Escrevi sozinha na rua. Nunca tinha escrito, deitada numa manta de retalhos, no jardim. Havia sombras mas eu escolhi o sol, porque o vento era frio e assim sempre estava mais aconchegada. O sol a bater na nossa cara é sempre reconfortante. Abri o meu caderno e dei corda à caneta. Não era uma caneta de penas, mas era a minha companheira para essa tarde. Escrevi até me doer o calo do dedo dos tempos de escola. Continuar a ler

Histórias, Livros

“Licenciei-me… e agora?” | Conversa com a Catarina

Não me licenciei agora. Mas isso não quer dizer que não me questione “e agora?” de vez em quando. Li o livro da Catarina Alves de Sousa de um só lanço,e já com trinta anos, depois de me ter licenciado há dez. Faz sempre sentido. Porque estamos sempre a tempo de nos questionarmos. É de perceber  se o caminho que estamos a seguir está certo para nós e para a nossa felicidade. Continuar a ler

Dia-a-dia

Piqueniques em Lisboa

Este ano dei lugar aos piqueniques na minha vida. Há muito tempo que não os fazia. A verdade é que adoro toda a parafernália que um piquenique inclui. Adoro a cesta de verga. Adoro a toalha aos quadrados. Adoro os pratos e copos coloridos. E as comidas práticas e leves que compõem esta mesa improvisada ao ar livre. Por isso mesmo trago hoje alguns dos melhores sítios em Lisboa para estender a toalha ao ar livre: Continuar a ler