Bocadinhos de férias II

Bocadinhos de férias II

E se eu não lhes chamasse férias e dissesse que foram uns dias de descanso?
Melides foi o destino escolhido para estes quatro dias. Gostamos muito de acampar e íamos para o parque de campismo da Galé, mas tudo fosse perfeito sem nada acontecer não seria nada normal… Estava cheio, havia um encontro qualquer de estudantes e voltamos recambiados. Ficamos noutro parque que não conhecíamos.

Correu tudo maravilhosamente bem se não contarmos com o facto de termos de andar anos para comprar o pão ou beber café, mais dois séculos para comprar protetor solar (que entretanto acabou), mais dois mil e quinhentos anos para comprar, de emergência, algo para as melgas, é que enquanto nós tentávamos jantar elas também nos tentavam jantar a nós! Basicamente, o parque não tinha lá nada perto sendo que todas as deslocações eram feitas à custa da gasolina.
Fora esses muitos problemas foram dias de muito sol na face, é que apesar de estar uma ventania dos diabos, junto do para-vento estava um calorzinho tal e qual México, mergulhos, muita leitura e principalmente descanso. “Não Fazer Nada” é uma actividade para a qual eu tenho bastante jeito.

E agora que estes dias acabaram nada melhor do que começar já a planear os próximos (que não estão assim tão longe quanto isso.) Além da tarefa “Não Fazer Nada” também tenho uma aptidão acima da média para planear férias: locais a visitar, passeios, praias onde dar mergulhos, essas coisas chatas. Sim, faço isso bastante bem.

 

Deixe uma resposta