Life change as in an instant

Life change as in an instant

“Os normais acordavam sempre da mesma maneira. Reclamavam do mesmo modo. Irritavam-se da mesma forma. Insultavam com as mesmas palavras. Cumprimentavam os íntimos de um modo igual. Davam as mesmas respostas para os mesmos problemas. Expressavam o mesmo humor em casa e no trabalho. Tinham as mesmas reacções diante das mesmas circunstâncias. Davam presentes nas mesmas datas. Enfim, tinham uma rotina estafante e previsível, que se tornava uma fonte de excelência para a ansiedade, a angústia, o vazio e o enfado”
(O vendedor de sonhos, Augusto Cury)

Se os normais são os deprimidos, onde estão os especiais?
Os portugueses estão tristes, estão infelizes, desanimados com a vida. Pudera a austeridade não dá tréguas. Mas poderá isto servir de desculpa para não ser feliz? Sim e não. Nada disto é 100% correcto e nem é assim tão linear. Mas eu quero ser especial.

É bastante mais fácil criticar, dizer mal, apontar coisas erradas. É bastante mais fácil explodir, reclamar. É mais difícil ter coragem, é mais difícil dizer “gosto de ti”, é naturalmente mais difícil ser optimista. E por isso é que os resultados do relatório da OCDE dizem que os portugueses não estão satisfeitos com a vida.
Eu percebo. Há uma linha que separa (onde é que eu já ouvi isto?) o que eu quero ser do que eu não quero. O que eu quero ter do que eu não quero. E às vezes é complicado não pisar essa linha, e todos temos pedaços bons e maus e por isso mesmo, para o bem e para o mal… life change as in an instant!

 

 

Deixe uma resposta