“Cloud Atlas”, não (se) podem perder…

“Cloud Atlas”, não (se) podem perder…

Quem escreveu isto tem cá uma imaginação… Quem escreveu isto está drasticamente perdido no tempo, no mundo e na história. E estará também seriamente perturbado. Quem escreveu isto acredita no karma, em outras vidas, em memórias. Quem escreveu isto sabe o poder do mal e do castigo, sabe o poder do perdão e o poder do bem e da retribuição. Quem escreveu isto é… um génio!

Preparem-se porque tudo dentro da vossa cabeça vai dar um nó quando virem este filme…


A história, ou melhor as seis histórias atravessam o tempo e vão-se suceder desde o século XIX até ao futuro, mas um futuro mais longínquo do que aquilo que pensamos que é o futuro (tcharam, primeiro nó)  :)
As personagens atravessam todos esses tempos através da reencarnação sofrendo ou vencendo conforme o que lhe dita o karma, de acordo com o lhes concede o destino.
Quem, como eu, gostar de viagens no tempo, passado e futuro na mesma história, personagens ligadas sem saberem como nem porquê, tem de ver este filme.

O autor do livro David Mitchell emprestou a ideia originando um filme que merece ganhar muitas estatuetas na noite da passadeira vermelha (a par de “Hunger Games”) Com actores como Tom Hanks, Hugh Grant, Halle Berry ou Jim Sturgess, foi ousado na história, foi ‘terrível’ de seguir prestando atenção a tudo, foi brilhante na confusão e especialmente foi sublime na caracterização. Os mesmos actores interpretam diferentes personagens em cada era e podem ter a certeza que cada um vai ter aquilo que merece…

“As nossas vidas não nos pertencem somente a nós, estamos unidos a outros, no passado e no presente. E com cada crime e a cada gentileza…traçamos o nosso futuro”
 
 

Relacionados:
* Hunger Games
* Let the Sky fall
* K and J em Homens de Negro

Deixe uma resposta