A malta

Quando a Troika chegar, será ainda o povo quem mais ordena? Porque eles, os que mandam nas nossas vidas, vêm avaliar-nos. Mas… “nesta rusga não há lugar para os filhos da mãe” e por isso os portugueses que não querem “embalar a trouxa e zarpar”, são obrigados a vir para “a rua gritar”, outra vez.
Porque hoje, como noutros tempos, o que faz falta é animar a malta. É empurrar a malta. É agitar a malta. É libertar a malta.

Zeca Afonso animou, empurrou e agitou a malta. E nós?

Deixe uma resposta