Para 2014…

Para 2014…

Para 2014 preciso que as doze passas resultem. Preciso que o brinde seja de verdade e que resulte mesmo. Em 2014 há coisas que têm mesmo que acontecer.

Em 2014, tenho de parar de não saber onde meti as coisas. Tenho de parar de procurar um papel, às 07h da manhã, em todas as malas que usei na semana. Preciso de parar de procurar a lima das unhas pela casa inteira. Preciso de parar de procurar o gancho para o cabelo. Porque o papel não está em nenhuma mala, está em cima da mesa da sala. Porque a lima das unhas não está na casa de banho, está na cozinha e o gancho para prender a porcaria da franja está preso nalguma camisola, porque me lembrei, um dia, que podia fazer falta. Porque as coisas não estão perdidas, só estão onde não procuro. E preciso parar com isto. Parar com as pressas que me obrigam a deixar tudo em todo o lado.

Em 2014 preciso de projectos, de coisas que me façam pensar, de coisas que me façam agir. Em 2014 preciso parar de dizer que não sou capaz, porque eu sei que consigo. Nada é mágico, quem tem que tirar os coelhos da cartola sou eu e fazer acontecer. Em 2014 preciso acreditar nisso e ir. Fazer acontecer o que me apetecer.

Em 2014 preciso de outro cesto de roupa suja, porque o meu é muito pequeno, tem sempre roupa a sair por fora. Preciso de um ferro de engomar que funcione ao som da minha voz que lhe vai ordenar coisas, enquanto eu estou no sofá a ver a minha série preferida.

Em 2014 preciso de dormir sem horas para acordar (e depois disso, dormir a sesta). Preciso de fazer exercício porque faz bem. Preciso, muito, de viajar. De conhecer, de tirar fotos, a lugares a que nunca fui.

Em 2014 preciso parar de refilar. E de todas estas coisas e desejos que tenho para pedir quando comer as passas sei que esta é a única que não tem qualquer probabilidade de vir a acontecer. Eu vou continuar a sorrir todos os dias, a cantar no trabalho, a dançar sozinha em casa, a dizer piadas mesmo que ninguém entenda. Vou continuar bem-disposta, mas também vou chorar sempre que quiser e sem ninguém saber. E vou continuar a refilar. A reclamar de tudo o que não está bem. Se eu digo que não está é porque não está. Ou seja vou continuar insuportável, até para mim!

Para 2014 preciso que as doze passas resultem. Precisamos. Preciso que o brinde seja de verdade e que resulte mesmo. Precisamos. Em 2014 há coisas que têm mesmo que acontecer. Para todos. Que o vosso 2014 seja memorável de tão bom!

Deixe uma resposta