Who run the world?

Who run the world?

A Beyoncé deu espectáculo. Eu achei que mais do que um concerto foi um espectáculo de música. A senhora dá-lhe muito. Canta muito, meu deus, canta mesmo muito. E dança muito. É poderosa e podre de boa, pronto já disse! Deu um show, adorei!

Já ouvi várias críticas dizendo que ela dançou de mais e cantou de menos. De facto podia ter cantado mais músicas. Senti realmente falta de “Listen”, “I was here”, “Best thing I never had” e “If I were s boy”, mas tudo bem, ela apostou no novo álbum, e em músicas com mais movimento para mostrar o corpinho sem celulite! Quase que me cobriu essa falha, cantando umas das que mais gosto, “Love on top“, cheia de energia positiva, no meio do público, lá em baixo.
Mais importante do que isso, ela surpreendeu Lisboa quando o maridão apareceu a cantar com ela “Drunk in love”. No fundo, toda a produção estava no auge. O som, a luz, os vídeos, o espaço, tudo coordenado. Um verdadeiro espectáculo de música.

Diz-se hoje que a lady caiu. Eu realmente vejo um bocado mal ao longe e não dei por nada. Estava mais ocupada a reparar que ela esteve o tempo todo a levar com ventoinhas na cara, o que realmente pode dar um ar muito sexy, mas saudinha da boa, não deve dar a ninguém! Além de que os seus cabelos gigantes estavam de certo um pouco espigados!

Tenho pena de não estar perto do Meo Arena hoje. Queria ver o negócio que alguém deve estar a fazer com todos os chapéus de chuva que as pessoas foram obrigadas a deixar ontem à porta! Cinco euros cada um e alguém ficará muito…excêntrico!

Deixe uma resposta