Até onde vais com cinco euros?

Cinco pessoas. Cinco euros. Uma viagem feita por um grupo de aventureiros que querem procurar a essência de um país de forma diferente. Uma viagem… a Portugal.


O lema destes cinco amigos podia ser “querer é poder”. Mas não. O nosso grande objectivo, para além de uma experiência única de vida, é desenvolver um roteiro alternativo que destaque este Portugal mais rural, de uma beleza imensa e de um sentido genuíno. Cinco estudantes em Idanha-a-Nova partiram de Mação numa aventura pelo país adentro.


Até onde vais com cinco euros? “Não vais longe”, diriam algumas pessoas. “Não vais a lado nenhum”, diriam os mais extremistas”. Este grupo acreditou, e com cinco euros foi muito, muito longe!


De uma conversa ocasional surgiu a ideia de partirem e foi durante o mês de Fevereiro, num intervalo das aulas que se fizeram à estrada. Numa carrinha cedida pela West Coast Campers, levaram as mochilas e cada um…cinco euros no bolso. Partiram com uma enorme vontade de descortinar o desconhecido e de abrir mentalidades. Acreditam na velha premissa que o dinheiro não é tudo e tentaram provar isso mesmo, a eles e aos outros. Aliaram assim um roteiro por terras lusas, daqueles que não vêm nos mapas, à solidariedade. Apenas procurámos ajudar pessoas e instituições, destacado o seu papel na sociedade, em troca de alimentação, alojamento ou combustível. Todo este projecto se baseia numa troca. Fazer um intercâmbio  entre meios rurais e urbanos, trocar serviços por ajudas não monetárias.


Definido o projecto, a primeira paragem foi Lisboa. Mas evitaram os trilhos turísticos. Pararam numa casa de Fados e quando explicaram a ideia que os ali levava tiveram um belo jantar lisboeta. Em troca serviram às mesas e trabalharam na cozinha. Procuramos numa altura de crise viver a realidade de muitas pessoas, que felizmente não é a nossa. Como ter de pedir comida. É quando nos colocamos no lugar de outra pessoa que nos tornamos mais humanos.


Setúbal, Alentejo, Coimbra, Aveiro. Os quilómetros iam-se acumulando. Lamego, Braga, Gerês, Gouveia. No Porto foram multados por mau estacionamento. No Piodão ajudam na construção de uma casa. Em Almeida deram uma palestra numa escola secundária, sobre o projecto, e em troca receberam um almoço e mais uma visita pela cidade. Em Leiria visitaram o Lar de Santa Isabel que acolhe crianças com carenciadas a quem deram toda a comida que tinham recebido até à altura. Nunca mais se vão esquecer.

A solidariedade é fundamental nos tempos que estamos a viver. Promover a atitude menos consumista e mais virada para a partilha. Ao longo de quinze dias a viagem foi muito intensa. Conheceram pessoas. Fizeram amigos e ganharam famílias emprestadas. Umas ajudaram-nos com compras, outras com alojamento, outras com refeições, outras com histórias que se gravam no coração. E eles em troca trabalharam, ajudaram e mais… mostraram que vale a pena acreditar.
Achamos que nós portugueses, temos um espírito solidário e aquilo que pretendemos é destacar o que de melhor têm as diversas localidades do nosso país e contemplá-las numa espécie de roteiro alternativo ao dito turismo de massas.


Quando regressaram à casa de partida, os cinco euros permaneciam na carteira. Mas eles vinham mais ricos.

Outras histórias:
Todos os países do mundo
Porque sorrir é o melhor remédio
Let’s be happy together
A cozinha verde

 

Deixe uma resposta