Home Sweet Home # 18

Home Sweet Home # 18

Há várias formas de amor. De amar. Para uns basta “amor e uma cabana”. No nosso caso é mais “amor e um supermercado”.

Umas pessoas sabem a cor preferida da pessoa amada, outras o destino de sonho. Algumas sabem aquilo que faz o seu par mais feliz ou a coisa que mais odeia. Outras conhecem como ninguém os seus pensamentos mais profundos.

No nosso caso a coisa é um bocado mais “avariada”. Ele não sabe a minha comida favorita (porque eu também não sei) e eu não sei a banda de que ele mais gosta (nem sequer deve ter uma).

Mas ele sabe perfeitamente identificar o meu carrinho de compras no supermercado. De todos os carrinhos estacionados no corredor, ele sabe qual é o meu. De todas as coisas que ele podia saber sobre mim, ele opta por saber o shampoo que eu uso, a marca de iogurtes que eu gosto, as natas que eu escolho ou as minhas bolachas do momento.

Deduzo, portanto, que a nossa despensa é o espelho do nosso amor. É onde temos amor concentrado. Talvez por isso não a deixamos esvaziar, estejamos sempre a enchê-la.

Deixe uma resposta