Estudo sociológico da vida real

Era uma vez umas cinquenta pessoas, basicamente, umas um cima das outras. Umas recostadas na parede, outras sentadas no chão. Mas ali, num curto espaço de metros todas concentradas.

Dessas pessoas, duas ou três estavam, no meio da rua, sentadas em cadeiras de praia, daquelas típicas às riscas. Provavelmente trouxeram de casa debaixo do braço. Uma ou duas pessoas estavam sentadas nos pufs da sala (isso, os pufs da sala). E mais… umas três ou quatro tinham nas pernas umas mantinhas para fazer face às noites frias de Agosto. Umas mantinhas, volto a dizer. De referir o pormenor mais importante: todas as pessoas, sem excepção, tinham telemóveis e tablets na mão.

De súbito, metade dessas pessoas levantam-se e começam a caminhar a passo acelerado. Algumas pessoas correm até. E atrás dessas vêm muitas mais. Parecia a procissão que vai no adro. Uma multidão organizada a ir na mesma direção (com telemóveis na mão, não esquecer).

Estas pessoas com cadeiras e mantas naquele curto espaço estavam a apanhar pokémons junto a pokéstops cheias de lures. Isso mesmo! As pessoas que se levantaram em debandada foram atrás de um qualquer bicho que apareceu lá mais além.

E há nesta história toda algo de assustador. É uma história verdadeira. E pior ainda eu estava lá. Eu vi! E também apanhei o raio dos pokémons. Por deus! Alguém me ajude. Nunca, desde que me lembro, um jogo agitou tanto a vida das pessoas. Quer dizer as pessoas hoje em dia não vão passear, vão apanhar pokémons. As pessoas já não vão fazer caminhadas, ao final da tarde, para descontrair, vão andar para fazer quilómetros para abrir os ovos de onde nascem pokémons. E isto parece-me tudo um bocadinho estranho. Este ajuntamento todo à volta de um jogo. As conversas sobre qual é o teu pokémon mais forte ou se logo à tarde vamos lutar para um ginásio. Tipo, mesmo?

Qual é exactamente a lógica que nos faz sair de casa para ir apanhar pokémons? O que é que nos faz querer ter aquele boneco estranho ou mesmo ficar chateados quando nos foge? Coleccionar pokémons está para a era moderna como coleccionar moedas está para 1980?

Parece-me que estamos perante um total fenómeno sociológico: Andar atrás de pokémons. Acho isto tudo muito estranho, assustador e mesmo muito preocupante. Mais grave ainda é o facto de eu andar nesta vida embora diga que ando só a passear. Muito grave mesmo.

1 Comente

  • Ellie
    6 Setembro, 2016 11:22

    R.Já li um acho eu. O “Naquele Tempo” e gostei imenso 😉
    Sigo*

Deixe uma resposta