Home Sweet Home # 19

Home Sweet Home # 19

Costumo demorar horas infinitas a limpar a casa. E por isso há um dia só dedicado a isso, cá em casa carinhosamente (not!) designado como o “dia das limpezas”, porque dura, de facto, o dia todo.

Não tenho cinco quartos, nem quatro casas de banho. Não. O que seria!  Não é pela dimensão da casa que eu demoro muito a limpá-la. Cá em casa as coisas são divididas. Casas de banho e sala para uma pessoa. Cozinha e quartos para o outra pessoa. E é sempre a mesma pessoa a ficar com a mesma divisão. Sim, é duro, mas é a vida! Apenas fazer o jantar ou dobrar a roupa e arrumá-la é feita mais ou menos à vez, do género…se eu estendi dobras tu. Uma ditadura, portanto.

No entanto, o tempo que se demora em cada uma não é exatamente o mesmo. E, como já disse, não é necessariamente pelo tamanho de cada uma das áreas ou da casa em si. Ou seja a casa de banho não tem que ser necessariamente mais rápida a ser limpa do que a cozinha, percebem? O que acontece realmente é que eu demoro mais tempo. Ponto final.

Não fico a esfregar freneticamente. Não. Não passo cinco vezes o pano na mesma zona a pensar que não ficou bem polido. Não. De facto não é nada disso. É que eu fico a dançar com a esfregona. Eu canto com o esfregão a fazer de micro. No fundo vejo todo um potencial do espetáculo não só em mim como em vários utensílios de limpeza!  Mas há mais. Eu fico a olhar para a televisão com o prato sujo perante a máquina. Qualquer programa da tarde me distrai. Também acontece frequentemente perder-me no espaço e no tempo a arrumar malas porque é lá que está tudo o que eu perdi há meses. É uma espécie de perdidos e achados. É nas malas que não usamos desde o Natal que estão as coisas que mais queremos e não encontramos. Ah e dinheiro, sim, imenso, encontro muitas vezes…dez cêntimos…em moedas de dois!

O facto é que me distraio com alguma coisa muito mais interessante que me apareça à frente e vou deixando tarefas a meio para começar outras.

E assim se passa todo o “dia das limpezas”. Tudo seria bastante mais interessante se não acontecesse isto tipo…sempre!

Deixe uma resposta