Inspiração

Inspiração

Às vezes sento-me super confortável no sofá com o computador ao colo e não sai nada. Sei exatamente o que quero escrever. E nada. A página fica em branco. Outras vezes sento-me na cadeira, com o computador em cima da mesa, a fingir que é um escritório. Super profissional. E nada. Tenho as ideias todas apontadas na cabeça e nada. A página continua em branco.

Custa-me mais assim. Quando sei o que quero fazer e não dá. Por alguma coisa obscura do universo as coisas não fluem e não ficam escritas como as imagino. É menos penoso quando não escrevo nada porque simplesmente não tenho nenhuma ideia. Não há, não há. Segue para bingo. Amanhã alguma coisa haverá de surgir. E normalmente surge. É assim. Não me preocupo com isso. Não me sinto frustada. Não vale a pena esforçar-me para sair uma coisa medonha hoje quando pode sair um brilharete amanhã!

Há depois alturas em que tenho acessos de fúria e apago todo um parágrafo que outrora achei magnífico. Nisto da escrita é assim. Quero sempre mudar qualquer coisa. E, se é para fazer, que seja bem feito.

Depois há vezes em que sou capaz de escrever nos lugares mais improváveis com a maior naturalidade do mundo. Às vezes o metro ou a sala de espera para uma consulta são sítios bons para escrever. Estranhos mas bons. E, atenção, não escrevo propriamente sobre a senhora que sentou ao meu lado. Não. Escrevo mesmo sobre alguma coisa que já tinha em mente. Ou revejo um texto que já tinha escrito. O pior é que nestes casos o processo criativo é obrigado a parar. Ou porque cheguei ao destino ou porque chegou a minha vez de ser atendida.

Às vezes acho que é preciso acontecer qualquer coisa ultra especial para escrever. Não é. Tudo serve para escrever. A folha que cai. A onda que bate. O frio que estremece. O dia e a noite. O escuro e a luz. O amor e a raiva. O bom e o mau. O bonito e o feio. O tempo, a televisão e a música. A corrida que dei. A sobremesa que provei. As compras. Os problemas e dilemas. A vida. São os dias que passam. Boa semana a todos.

4 Comentários

  • Ellie
    28 Novembro, 2016 14:28

    As minhas ideias ocorrem sempre durante o duche ou naquele espaço que estou quase a dormir xD

    • Andreia Moita
      28 Novembro, 2016 14:33

      No duche não me ocorreu nada. Mas no espaço de estar quase a dormir sim. E enquanto vou a conduzir também já me chegaram ideias. :)

  • Green
    28 Novembro, 2016 17:14

    Acho que é mesmo assim, surge quando tem de surgir e normalmente nunca é quando estamos confortáveis e prontos a escrever, nisso concordo contigo a 100%. A inspiração vai e vem, faz parte :)

    • Andreia Moita
      28 Novembro, 2016 18:06

      Tens razão. A inspiração pode ir…desde que volte, tá tudo bem!

Deixe uma resposta