Precisamos de (ainda) mais emojis?

Precisamos de (ainda) mais emojis?

Se quisermos podemos escrever frases inteiras só com emojis que toda a gente vai perceber. Portanto, sim a resposta é sim. Precisamos de mais emojis. 

Há desafios espalhados por esta internet fora que comprovam o quão inteligente e elástico o nosso cérebro consegue ser. Facilmente conseguimos perceber que filmes são estes. E se não conseguirmos à primeira, melhor ainda, para puxar pela cabeça! O sete é um clássico e toda a gente já viu. O nove, é O filme. Não sou grande fã do onze. O dezoito foi muito bom filme contra as expectativas. Confesso que só vi o vinte seis há bem pouco tempo, o que é imperdoável. E o trinta e um foi somente espectacular.

acerte-os-filmes

Ora não sendo eu uma pró no uso das tecnologias, devo considerar que os emojis são claramente facilitadores de vida. Quando não estou com paciência para telefonemas (tipo, sempre) é super útil mandar mensagens com emojis para que as pessoas compreendam exatamente o que estou a dizer numa mensagem. Até posso dizer uma barbaridade, ser má como as cobras mas no final meto um boneco com a língua de fora e um diabinho e a pessoa percebe que estou a gozar!

O meu favorito, tenho que dizer, é o cocó. Dá para tudo nesta vida. De facto, acho que usamos este emoji para indicar que alguma coisa vai correr mal, tipo “isso vai dar cocó”. O emoji que uso mais é aquele com as duas lágrimas, tipo chorar a rir. O que prova que os meus amigos me dizem coisas muito sérias por mensagens. Também costumo usar bastante a senhora a dançar. E, claro, aquele a revirar os olhos (é igual a mim). E quando perguntam se alguém quer não sei o quê…meto aquele com o dedinho levantado.

Mas convenhamos, nestas nossas andanças pelas conversas com bonecos, todos já sentimos falta de um boneco ou outro. E por isso, há várias actualizações que vão introduzindo novos aspectos da nossa vida representados pelos bonecos. Antigamente só havia um boneco a correr. Um boneco. Não havia uma boneca. Isto pode mesmo ferir susceptibilidades. Qualquer coisa é motivo para dizer logo que há discriminação. Por isso mesmo já existem bonecos e bonecas com todas as cores de pele possíveis e imaginárias. A pistola preta, por exemplo, já foi substituída por uma pistola de água verde, não sei se reparam. Não se pode incentivar a qualquer tipo de comportamento desviante. Deve ser difícil a vida destes senhores que inventam os bonecos. Têm de estar sempre a imaginar sobre o que as pessoas falam para criar bonecos que nos possam ser úteis e ainda têm de pensar na controvérsia e na discussão que isso pode gerar.

A nova actualização que vai chegar para o ano vai incluir uma pessoa a amamentar (super útil) um smiley com os dedos na boca a indicar “shhh” e um outro a vomitar (já tinha sentido a falta deste, para quando estamos a decidir as ementas dos jantares de grupo, poder expressar a minha indignação, já que não gosto de nada!) Vai incluir mais animais, mais actividades físicas (devem ser os pilates desta vida, de certeza), zombies, vampiros, sereias e novos itens de alimentação como brócolos (devem vir aí abacates e aveias e coisas do saudável!)

img_741x4952016_11_14_11_31_13_319838

Detectei há pouco tempo a falta de um pé. Não me perguntem para quê mas eu precisava de um pé. Havia mil e quinhentas mãos e nem um pezinho. Há ainda outro que me faz imensa falta. Ao ponto de eu já ter gravado um vídeo com a minha reacção a alguma coisa por sentir falta desse emoji. É que isto afecta a vida das pessoas. Tive que gravar um vídeo a bater com a minha mão na minha testa. Estão a ver, aquela reação tipo “dah, não acredito que fizeste isso!” Portanto, emoji a dar uma valente palmada na testa precisa-se.

Deixe uma resposta