I’m (not) running 17 # edp grande prémio de natal

I’m (not) running 17 # edp grande prémio de natal

Este domingo foi mais um dia de prova. O grande prémio de natal edp. A companhia dos amigos foi mais uma vez um importante impulso. Não metia lá os pés se não fossem eles.

Esta corrida tem início em Carnide, passa por Alvalade, Campo Grande, Saldanha, Marquês de Pombal, desce a Avenida da Liberdade e termina nos Restauradores. Até me canso de pensar. É um percurso feito no centro desta nossa linda Lisboa. Mas isso na altura não interessou nada. Nem reparei no caminho. Estive bastante mais focada nas minhas pernas e muito ocupada a perguntar-me porque raio voltei a correr dez quilómetros. Já tinha corrido uma vez. Não chegava? Enfim, eu às vezes sou maluca da cabeça.

Quando corri a primeira vez esta distância (há duas ou três semanas) achei que não ia conseguir. Que ia desistir a meio. Que ia ter dores e isto e aquilo. Hoje, pela segunda vez a cumprir dez quilómetros achei o mesmo. E voltei a ir. (Mas pra quê!) E voltei a concluir a corrida. Uns minutos mais rápido e sem andar nem uma vez. Só isso já é brilhante. Para mim, é. Cada um agarra-se ao que pode, sim?

Quando começas a correr é tudo uma surpresa. Não sabes muitas coisas. Não sabes o que vem aí, se vai custar se não. Se vais recuperar bem. Quando voltas a correr sabes tudo. E isso torna-se ridículo. Ora vejam: se sabes que vai custar a controlar a respiração. Sabes que vai custar a alongar no final. Sabes que vais ter dores amanhã. Sabes tudo, tens as cartas em cima da mesa. E vais na mesma. Isto é um bocado estúpido. Sabemos tudo e vamos na mesma? Que raio de ideia.

Não consigo dizer o motivo pelo qual comecei a correr. (Foi um devaneio que devia ter passado.) Não sei o motivo pelo qual quis aumentar a distância para os dez quilómetros (Estava tão bem a correr seis ou sete) Mas sei dizer o motivo pelo qual voltei. Toda a gente corre por uma razão. A minha é aquela sensação no final. Aquela sensação de concretizar alguma coisa, de conseguir e claro de alívio. O alívio. É isso. Caraças, acabou. O fim. Consegui. Quando não sentir mais isto, esta alegria de concluir uma missão para a qual me propus, então aí não faz sentido. Todas as corridas são diferentes. Mas a sensação no final é a mesma. É o fim da corrida que me faz lá voltar.

 

1 Comente

  • Green
    12 Dezembro, 2016 21:51

    Parabéns mais uma vez 🙂

Deixe uma resposta