Natal no blog: brinquedos

Natal no blog: brinquedos

Sim, o natal é para as crianças. Mas eu também gosto. Gosto de receber e dar presentes. Pensar o que vou dar e embrulhar. Adoro embrulhar. Depois gosto de ver a cara das pessoas quando recebem aquilo que realmente queriam. E quando são crianças é melhor ainda. A felicidade. É a mais genuína. 

Também eu ficava assim feliz. (Ainda fico hoje.) Quando recebia exatamente aquilo que tinha pedido. Aquilo que queria tanto. Os brinquedos nos quais metia uma cruzinha na lista. Era relativamente fácil abrir-me o sorriso. Era fácil acertar no meu presente na medida em que pedia tudo o que havia. Todas as barbies. E os seus acessórios. Todos os nenucos. Todos os acessórios para brincar às cozinhas e comidinhas, microondas, cesto da roupa e isso tudo. Todas as cassetes de músicas e vídeos. Todos os jogos. Todos os livros. Tudo em todas as categorias. Portanto se eu pedia tudo era difícil errar.

Hoje quando vou comprar as prendas para os miúdos acho as coisas das meninas bem mais bonitas, as coisas todas cor-de-rosa, muito apelativas, giras, divertidas. Adoro as casinhas e a imitação da vida real. E brincar aos cabeleireiros com cabelos grandes das bonecas. E fazer pulseiras. E brincar às cozinhas e às mães. É mais fácil escolher coisas para meninas. Mas, há um problema, se virmos isto ao detalhe, os brinquedos para as meninas apelam a que as mulheres aprendam a cuidar da imagem, dos bébés e da cozinha. E apesar de achar tudo mega fofo, não acho isso nada bem porque já vamos passar uma vida inteira de adultas a cuidar disso tudo. A única diferença é que a brincar, nunca deixamos queimar o frango. Eu cá acho que os meninos também deviam brincar com as esfregonas e com os ferros de engomar. Para se habituarem.

Já os brinquedos para rapazes não percebo. Não percebo a obsessão dos rapazes com as pistolas. São feias e vão servir apenas para nos atirar com qualquer coisa à cara. (Deve ser essa a piada) E os bonecos com a cara do Hulk ou do Super Homem, que não fazem nada, apenas mexem um braço ou uma perna e emitem grunhidos esquisitos, servem para quê? Há também aqueles com caras feiosas, que eu nem sei o nome. Servem para brincar às lutas, não é? Muito interessante. Só que não. Há também as pistas cuja única função é meter-nos a cabeça à roda. Lá vai um carrinho para um lado e um carrinho para o outro. Para um lado e para o outro… Salvam-se os jogos de tabuleiro e os legos que têm alguma função de jeito eu também sei brincar com eles.

 

4 Comentários

  • Green
    13 Dezembro, 2016 13:30

    Concordo contigo, realmente é ótimo abrir um presente ser realmente o que queríamos ou precisávamos, e quando crianças, tem ainda mais valor e mais magia. Concordo, há presentes bastante violentos e que não fazem sentido nenhum.

  • Melhor Amiga
    13 Dezembro, 2016 18:38

    Sou como tu, adoro a magia de um presente

  • Raquel Dias da Silva
    16 Dezembro, 2016 23:06

    Eu acho que os melhores brinquedos são os jogos de tabuleiro (lembro-me de jogar desde muito cedo o Scrabble todos os natais com os meus pais e, mais tarde, o meu irmão mais novo juntou-se à festa) e os livros. Só descobri a banda desenhada no meu primeiro ano de licenciatura mas agora já sei como é que vou convencer os meus futuros rebentos de que os livros são fixes: chegar com livros ilustrados e BD 🙂

    • Andreia Moita
      17 Dezembro, 2016 11:19

      Livros para mim é o melhor! Tento sempre incentivar pessoas a ler, acho que é tempo sempre muito produtivo 😃

Deixe uma resposta