Como planear viagens

Como planear viagens

As minhas viagens começam muito antes de ir. Começam ainda cá em casa. Entre mapas, papéis, trajetos. Passo os dias anteriores de computador à frente a escolher os sítios que quero ver e de caneta pronta para apontar como lá chegar e traçar o meu roteiro.

Normalmente usamos o Booking para marcar hóteis e nunca houve nenhum problema. Mas desta vez tínhamos um voucher desde o natal de 2015. Mas o prazo estava a terminar e nós nada de escolher um destino. Até que a certo dia eu desesperada com as hipóteses digo “ainda escolho ‘masé’ um hotel na Madeira, vais ver…”. E com esta brincadeira ele responde-me “É isso, vamos para a Madeira”. É mais maluco que eu. E assim ficou escolhido o primeiro destino do ano. Vamos para a Madeira.

Depois disso procuramos os melhores voos no site Rumbo que verifica logo os voos disponíveis de várias companhias e ordena pelo mais barato. Claro que depois convém verificar na companhia se o preço é o mesmo. Vale a pena marcar com antecedência porque os preços vão variando. Num dia estão baratos e no outro estão mais caros. Temos que ter alguma paciência e marcar no dia em que achamos um bom preço para nós. E dica das dicas, depois de marcar nunca mais na vida devemos ir ver os preços dos voos. Porque se encontramos um ainda mais barato do que aquele que marcámos vamos ficar um bocado chateados, né? No nosso caso vamos na easyjet. Depois do hotel e voos marcados é só sonhar.

Começo a pesquisar os monumentos, jardins, ruas, miradouros e outros pontos turísticos que quero ver. E o que há de interessante pelo caminho. Vejo os restaurantes onde quero comer. Vejo guias. Leio blogs de viagens. Pergunto dicas às pessoas. E passo boa parte dos dias anteriores a tirar notas em cadernos e a fazer desenhos de rotas possíveis. Depois transporto esse caderno comigo durante toda a viagem e vou marcando os sítios por onde já passei.

Ele não. Por deus, ele descarrega uma aplicação para o telemóvel, vê as coisas que vamos visitar, marca com o dedinho lá no ecrã touch e depois anda com aquilo a indicar caminhos o dia inteiro pelas ruas. E eu carregada de mapas, folhetos, cadernos, canetas e cenas a que ele não liga nenhuma. Decidimos contrabalançar as coisas. Depois da minha pesquisa pela net e de dar ao dedo a escrever até ganhar calo, passamos estas minhas informações para a app que ele escolheu, a Sygic Travel. E assim estamos ambos satisfeitos porque eu posso lá marcar os sítios que quero ver e ele pode fazer uso da tecnologia em viagem.

Viajar é a melhor coisa do mundo. Conhecer outros sítios, outras realidades, culturas e hábitos, outras paisagens, outras pessoas. Até respiramos melhor. Sexta-feira partimos para a primeira viagem do ano e dizemos olá à ilha da Madeira.

2 Comentários

  • Green
    12 Janeiro, 2017 23:03

    Fui à Madeira em 2015 e adorei, é uma ilha linda que vale muito a pena visitar. No entanto, depois do incêndio do ano passado, muita coisa gira se perdeu, mas de certo que ainda haverá muito que ver :)

    • Andreia Moita
      14 Janeiro, 2017 9:12

      Já cá estou e até agora tem sido maravilhoso!

Deixe uma resposta