La la land, melodia de amor

La la land, melodia de amor

Anda tudo quanto é crítico a falar deste filme. Anda tudo quando é gente histérica com isto. La la land para aqui, La la land para ali. Ora falam mal, ora falam bem. Mas que é o filme mais falado do momento lá essa fama ninguém lhe tira. 

“La la land, melodia de amor” está nomeado para uma catrefada de óscares. O facto de ser um musical não me metia de pé atrás porque eu gosto. Na verdade, eu já faço da minha vida um musical mesmo. Danço a varrer a cozinha, meto música enquanto me visto e canto enquanto faço o jantar. Para qualquer momento consigo encontrar uma música e se não houver sou bem capaz de inventar uma. Portanto, pessoas a sair de carros no meio do trânsito cantando e dançando não me afligem.

A vida é uma canção, é uma música, é uma dança coreografada. Às vezes erramos de tom ou saímos do compasso. Às vezes é um samba, porque é divertida. Outras vezes é uma balada porque é romântica. Pode ser, quem sabe, um fado, porque às vezes é triste, é mesmo assim, há dissabores. Mas também pode ser um rock para vibrarmos na loucura. Ou um hip pop pela rebeldia. Uma kizomba, para dançarmos juntinhos. Às vezes a vida é um reggatton, é só curtir. E outras vezes é mesmo uma pimbalhada e saímos todos a fazer comboio por aí.

O filme conta a história de Sebastian, um pianista que gosta de jazz e que tem o sonho de ter o seu próprio bar e tocar os seus temas, e de uma empregada de café que sonha ser atriz, Mia. Ele vai tocando em bares e ela não pára de ir a castings. Ambos estão à procura da sua sorte. A tentar construir o seu caminho. Ambos lutam e perseguem os seus sonhos, sem desistir. E conhecem-se numa lovely night. Duas histórias, um amor e um final fora do convencional. No fundo o filme ganha, ou perde, depende da perspectiva, exactamente pelo seu final. Não vou dizer o que acontece. Mas eu teria preferido um final alternativo, assim daqueles que ficamos sem saber o que acontece… tipo uma coisa que ficasse à escolha da nossa imaginação.

A mensagem tem a ver com os nossos sonhos, desejos e ambições. E  com a forma como os perseguimos. Como lutamos por eles. Tem a ver com a vida que escolhemos para nós. Tem a ver com o esforço e dedicação que pomos nas coisas. E tem a ver com aquilo que podemos ir perdendo durante o caminho. Eu achei meio triste o facto de se ter que perder umas coisas para ganhar outras. O facto de se ter de escolher, no fundo de não se poder ter tudo. Mas é a vida, é a nossa realidade. A vida é feita de escolhas. No final, se formos felizes, é porque escolhemos bem.

É um filme diferente. Não vi ainda os outros nomeados, portanto não sei se é melhor. Mas tem certamente muitas hipóteses de ganhar pelos detalhes, pelos preciosismos e pormenores que não reparamos noutros filmes. Poderá ganhar prémios a nível do guarda-roupa que era espectacular. Ao nível da produção artística e da fotografia. O trabalho a este nível é incrível. Meter actores a cantar e a dançar dentro de cena é realmente notável. E depois há toda a parte musical. Ganhará a melhor banda sonora, de certeza.  Os protagonistas, Emma Stone e Ryan Gosling, estão ambos nomeados para melhores actores principais. Neste campo penso que ele esteve melhor na interpretação do que ela, mas, como disse, não vi ainda o trabalho dos outros nomeados para opinar.

É um filme leve. Que nos distrai. Tem alguns silêncios desconfortáveis para mim, mas talvez sejam necessários para passar a profundidade das ideias. Tem um quê de anos vinte. Tem emoção. Tem música. Tem dança. É visualmente agradável e bonito. Mostra a vida como ela é. Tem um propósito e uma mensagem. Vamos cantar. E realizar os sonhos!

 

3 Comentários

  • Carlota
    7 Fevereiro, 2017 23:24

    Eu fiquei tão dividida com este filme!
    É giro, é leve como dizes, é animados, faz nos cantar e sorrir mas não sei se vale a pena tanto alarido 😡

    Mas pronto, aposto que vai ganhar!
    Beijinhos

    http://www.onlycharlottee.pt

    • Andreia Moita
      7 Fevereiro, 2017 23:47

      Eu senti-me dividida foi com o final. Estava à espera de outra coisa Não o óbvio, o típico final. Mas também não aquele. Estava à espera de outra coisa mais surpreendente, que nos deixasse a pensar o que teria acontecido… Tenho de ver os outros nomeados!

  • Cátia Rodrigues
    9 Fevereiro, 2017 0:07

    Tenho ouvido falar maravilhas deste filme e ainda não vi! Ele só estreia amanhã aqui na ilha e eu mal posso esperar! Obrigada pelo teu carinho minha princesa, eu também adoro acompanhar o teu trabalho <3

    http://www.thepinkelephantshoe.com

Deixe uma resposta