Lion – a longa estrada para casa

Lion – a longa estrada para casa

Saroo e Guddu são dois irmãos indianos. Vivem com a mãe e ajudam-na a trabalhar numa pedreira para manter a família. Saroo só tem cinco anos. E num dia de trabalho, demasiado exausto, adormece numa estação de comboios e perde-se do irmão.

Este filme é baseado numa história verídica. Não há muitos spoilers que eu possa fazer. Saroo supera dificuldades após vários tempos sozinho na ruas de Calcutá sem ninguém que fale a sua língua ou sequer se preocupe por ver uma criança sozinha. Esperto, vai até safar-se de várias situações que lhe podiam ditar dias piores (sim, piores ainda).

Mais tarde Saroo é adoptado por uma família australiana e pode até dizer-se que passou dias felizes e que construiu uma boa vida. Mas… este “mas” é que consome. Este “mas” não o largou a vida toda. Durante vinte e cinco anos Saroo não esqueceu a sua verdadeira família, aquela de quem se separou sem querer. E vai procurá-la. Através das poucas recordações que tem e do Google Earth faz uma verdadeira caça ao lugar onde um dia viveu.

Saroo é interpretado por Dev Patel, o actor que fez de Jamal no filme “Quem quer ser milionário”, lembram-se? (Eu adorei.) Também temos aqui a interpretação de Nicole Kidman, num registo muito sofrido e pesado. Até mesmo na idade, Nicole parece muito mais velha.

Eu não sou fã de muitos filmes. Guardo poucos na memória. Este é o género de filme que eu gosto e no qual fico a pensar até algum tempo depois. Este filme é um drama. Comparo o sentimento deste filme àquele que tive quando vi ” O Impossível”. Tragédias com miúdos, eu não aguento! Não choro, mas fico muito triste. E quem é de chorar, meu deus, vai soltar lágrimas do principio ao fim. É um filme que demonstra o poder da família e do sentimento de união. Este filme é totalmente merecedor do óscar para o qual está nomeado. O de melhor filme. É, aliás, o típico filme vencedor. Mais do que La la Land, sem qualquer dúvida. É um filme que demonstra a força humana. Que demonstra do que somos capazes. Tenhamos nós a idade que tivermos.

3 Comentários

  • Xana
    16 Fevereiro, 2017 15:30

    Fiquei mega curiosa, deve ser brutal!

  • Melhor Amiga
    17 Fevereiro, 2017 10:32

    Fiquei curiosa… Tenho que ver o filme…

  • Bárbara Marques
    17 Fevereiro, 2017 11:51

    Acabei de ler um post sobre este filme num outro blog. Quero muito ver!

Deixe uma resposta