30 anos | 30 lições

30 anos | 30 lições

É hoje que chego aos 30. E ao longo de 30 anos tenho tido algumas lições. A algumas não liguei nenhuma. A outras não prestei atenção na devida altura. Outras talvez tenha aprendido tarde demais. E outras ainda vou a tempo de aprender. 

Já tive algumas conquistas e realizações na vida. Mas sou insatisfeita e falta sempre qualquer coisa. E ainda bem. Já fiz um interrail mas ainda me falta saltar de pára-quedas. Acho que há coisas que só se aprendem com a idade, talvez um dia venha a fazer yoga. 30 anos quem diria. 30 anos e eu ainda sem juízo nenhum. Seguem as lições:

  1. Ser optimista: esta é logo a primeira. Tenho vindo a perceber ultimamente que levar a vida com uma visão mais positiva é realmente mais compensador. Aquela história de que coisas boas atraem coisas boas é bem capaz de ser verdade.
  2. Não há nada que não sejamos capazes de fazer: normalmente é nas piores situações que descobrimos isto. Mas que seja, se for para perceber que a frase “não consigo” não se aplica na nossa vida. Quando chega a altura de fazer aquela coisa, nós conseguimos, oh se conseguimos. Atentem nisto!
  3. Devo acreditar nas minhas capacidades e ter mais confiança em mim: acreditar que sei fazer coisas muito bem não significa que seja arrogante. Ora há coisas que eu sei fazer bem, tipo…deixa ver…eu canto muito muito bem, por exemplo, as paredes não se queixam.
  4. A ambição não tem que ser uma coisa má: desde que seja usada com respeito por nós e pelos outros não há nenhuma mal em querer ser, saber e fazer mais.
  5. Tenho de ser eu a lutar por mim: se sou inconformada com aquilo que tenho não é a ficar debaixo da sombra que vou sair de lá. Se eu não me levantar, ninguém me vai lá chamar para o almoço!
  6. A importância de sair da zona de conforto: enfrentar desafios é capaz de ser das coisas mais libertadoras e que mais nos dão conhecimento de nós próprios. Tenho aprendido isso. É ir com tudo!
  7. Experimentar coisas novas: morro de tédio a fazer as mesmas coisas. Farto-me, percebem? Dizer que fiz uma coisa pela primeira vez é assim mega fantástico. Encontrar novas paixões é descobrir mais de nós. A corrida, a comida saudável, a fotografia e o blog (e tudo o que o rodeia) têm sido as minhas descobertas mais recentes.
  8. Fazer novas amizades: esta é difícil. Não há assim muita gente que me ature. Eu própria não me aguento. Mas conseguir ficar amiga de alguém é uma sensação extraordinária porque cada pessoa nova vem acrescentar um bocadinho diferente em nós ao mesmo tempo que tu podes mostrar coisas novas às pessoas.
  9. Se for preciso, deixemos partir algumas amizades antigas: Não tem mal nenhum. As histórias vividas ficam na memória. O afastamento às vezes é uma coisa natural não é preciso haver puxões de cabelo.
  10. Não ficar agarrada ao passado: as memórias formam a nossa história e dão-nos lições para o futuro, mas não precisam de ficar plantadas no nosso presente de forma a impedir-nos de avançar. Epah, profundo. Terei lido isto num livro?!
  11. Não me permitir sentir rancores e ressentimentos: isto só ocupa espaço. Devemos fazer como quando limpamos o armário da roupa de inverno para a roupa de verão, de vez em quando devemos deitar fora tralhas velhas da nossa cabeça.
  12. Devemos sorrir e gargalhar sempre: Para cada momento deverá haver sempre um sorriso. Experimentem usar a ironia. Qualquer momento pode virar humorístico.
  13. Chorar pode não ser assim tão mau: eu detesto chorar, mas é o melhor desabafos que existe porque é feito connosco próprios. Há coisas que só me saem da cabeça depois de deixar as lágrimas cair. É uma pequena descompressão do stress. O importante mesmo é não ter rímel nas pestanas nessa altura.
  14. Fazer o que gostamos é fundamental: Ninguém consegue ser feliz a fazer o que não gosta. Nem mesmo com um bom ordenado conseguimos ser felizes se trabalharmos o dia inteiro no que não gostamos. Pensem comigo, passamos mais tempo a trabalhar do que a gastar o dinheiro. São só 22 dias de férias no ano inteiro.
  15. A falar é que agente se entende: acho sempre que devo dizer as coisas que penso que precisam de ser ditas. E tenho ainda algumas dificuldades em engolir alguns sapos.
  16. Ter coragem para mudar: A mudança causa medos e por isso as pessoas recuam. Mas mudar é concretizar. É aprender. É crescer. Faz bem. (Boa Andreia, já na escola eras melhor na teoria do que na prática. Mexe-te.)
  17. Arriscar e não perder oportunidades: Há coisas que simplesmente só acontecem uma vez. Aquele vestido lindo que deixaste na loja? Quando voltares não vai haver o teu número.
  18. Há coisas que não dão certo: Há dias maus. É preciso atingir uma certa maturidade para conseguir aceitar certas coisas. Se acordar tarde e não der tempo para esticar o cabelo, assume o estilo wild.
  19. Aproveitar os momentos: gosto de mergulhar no mar sentir a brisa do verão. Devia fazer isso mais vezes ainda e dar mais valor a esse momento.
  20. Ter tempo e ter vontade são dois conceitos que se conjugam: Quando temos vontade vamos sempre arranjar tempo. (Dobro as meias depois, há prioridades)
  21. Existem pessoas más: Não inventem, há pessoas más, pronto. É preciso saber desligar dessas pessoas.
  22. Mas também há pessoas boas: elas existem e causam um bem estar em nós. Inspiram, motivam, trazem energia, ar fresco e tornam-nos mais leves. E há dias em que só precisamos de sentir estas pessoas boas. Eu tenho as minhas pessoas boas e tenho vindo a descobrir outras tantas.
  23. Prestar atenção aos outros: às vezes estão a precisar de nós.
  24. Não devemos anular as nossas vontades: ou seja, não vamos fazer ninguém feliz se nós próprios não estivermos felizes. Não adianta querer só fazer bem aos outros se no final do dia não estamos contentes connosco próprios.
  25. Moderação vs Impulsividade: Numas coisas sou muito indecisa porque quero ser moderada e noutras coisas sou muito decidida correndo o risco de ser impulsiva. Preciso, claramente, aprender a encontrar o equilíbrio.
  26. Devemos cuidar de nós: meter protetor solar é realmente importante. Já não ponho creme de cenoura, prometo. (Um creme aqui no canto dos olhos, se calhar também era de pôr, não?)
  27. Ter uma alimentação saudável: ainda não provei brócolos mas já comi espinafres.
  28. Fazer exercício: Não percebo a necessidade de sentir dores nos braços quando mexo o iogurte ou de sentir dores nas pernas quando avanço no acelerador mas já consigo compreender a sua importância.
  29. Ter uma casa própria é muito difícil: para a próxima avisem que tenho que separar a roupa branca da escura e preparar o jantar, limpar o pó, mudar os lençóis da cama, levar o lixo para baixo e verificar se há contas no correio.
  30. Devemos cantar: Cantar expulsa os demónios. Toda a gente devia cantar e assim a vida era um musical. E todos cantávamos e dançávamos nas filas de trânsito. Dentro do elevador. Nas reuniões com os chefes. Fazíamos da vida um espetáculo. E recebíamos palmas.

Uma visão sonhadora é sempre fundamental. Olho para esta lista e vejo coisas que já faço e outras que gostaria de fazer mais. Agradeço a todos os que contribuem diariamente para que a minha visão do mundo não seja a preto a branco. Agradeço a todos aqueles que me metem influências boas na cabeça, que me deixam a pensar em ser algo melhor. Não somos nada sozinhos.

(30 anos já? Mas eu ainda não uso salto alto nem nada!)

 

9 Comentários

  • Ellie
    24 Junho, 2017 11:17

    O tempo realmente não espera por ninguém nem um segundinho que seja.
    Muitos parabéns e que venham muitos mais 30’s 😉 Beijinhos!

    • Andreia Moita
      24 Junho, 2017 19:45

      Obrigada pela mensagem. Bjs

  • Patrícia Gonçalves
    26 Junho, 2017 13:14

    Tens que começar a pensar seriamente em escrever um livro!
    Bem vinda aos 30!
    Beijinhos

    • Andreia Moita
      26 Junho, 2017 14:33

      Não vou dizer que não gostava. 😉 uma meta a alcançar com muito trabalho!

  • Joana Silva Rosa
    26 Junho, 2017 13:23

    Adorei !!

    • Andreia Moita
      26 Junho, 2017 14:34

      Obrigada amiga!

  • Margarida
    27 Junho, 2017 11:45

    Parabéns não só pelos 30 mas por tudo isto que és e pelo que almejas vir a ser! Tenho saudades dos tempos que passámos juntas mas fico tão feliz por te saber bem! Um beijinho enorme

    • Andreia Moita
      27 Junho, 2017 12:00

      É incrível como não nos esquecemos do bem que nos fizeram os tempos a brincar numa pequena varanda. Muito obrigada querida amiga.

      • Margarida
        28 Junho, 2017 11:12

        Claro que não esquecemos! Há coisas que ficam pra sempre mesmo que estejamos longe fisicamente! Gosto muito de ti! Beijinho

Deixe uma resposta