Bloggers Camp | O início

Bloggers Camp | O início

Bloggers Camp. Uma espécie de acampamento para bloggers onde todos sabemos que não se mexe no prato sem antes tirar uma foto. Fui às escuras e naquela da loucura. Quando vi pessoas a chegar vindas do Porto, Coimbra e Figueira da Foz achei: “Bem… isto deve ser mesmo incrível”.

Eu sou uma pessoa sociável e bem disposta, mas tenho as minhas reservas. Tenho os meus medos, é mais isso. Passar o fim-de-semana inteiro com pessoas que eu só conhecia do outro lado da tela (e algumas nem sequer assim) fazia parte das minhas inseguranças. Mas o que é que eu vou dizer? O que é que eu ia mostrar? Será que podia dançar à vontade? Foi por isso que fui. Porque não sabia até onde podia ir. Porque queria fazer coisas “fora da minha caixa”. Eu sou aquela pessoa que vê uma camisola numa loja, não compra e depois quando volta já não há o tamanho. Ou seja, eu sou mestre em perder coisas e oportunidades é uma delas. Decidi que isso ia acabar quando comprei aquele bilhete.

O Bloggers Camp para mim, não é juntar sinergias, mas sim energias. Ou seja as mentes brilhantes de onde esta ideia surgiu (a Catarina Alves de Sousa, a Ana Garcês e a Catarina Costa) querem que pessoas com interesses diferentes combinem entre si e produzam magia. À parte disto dão-nos, a nós participantes, a experiência de trabalhar em equipa, de partilhar ideias, de receber ferramentas através de workshops, de conhecer coisas novas, de pensar sobre nós, de ganhar inspiração e mais importante que tudo, para mim, dão-nos motivação para pôr tudo isto em prática.

Vivemos num mundo pouco motivado, pouco inspirado, pouco grato, pouco divertido. Há poucos elogios. Dizemos mais mal dos outros (e de nós) do que bem. É verdade, não inventem! Há poucos sorrisos e ainda menos gargalhadas. E isso, gente, é o fim! Pois posso dizer que hoje, dia seguinte ao Bloggers Camp, passei o dia a refletir sobre o que aconteceu (e eu reflito muito pouco, digo-vos já) mas mais do que isso. Passei o dia a ver gente a ser elogiada e a elogiar. Passeio o dia a apreciar as minhas redes sociais a serem inundadas de mensagens bonitas, de alegria, de admiração e de incentivo de uns para os outros. O que eu vi hoje foi aquilo que produzimos nestes últimos dois dias.

O que eu senti hoje foi que conheci pessoas que não param, que têm energia, que têm a mente aberta. Pessoas que me podem ajudar a abrir a minha também. Pessoas com ideias geniais, como eu gosto. Pessoas sem pretensões de ser melhor do que os outros. Pessoas com vontade de ajudar. Genuínas. Gente boa. No final não é dessas pessoas que nos devemos rodear?

Talvez a porta se tenha aberto para grandes histórias. Por isso no próximo post vou escrever as coisas que aprendi com o Bloggers Camp. Sim, no próximo post, porque vim escrever para a cozinha para ficar a guardar o forno e entretanto distraí-me a escrever isto e ia deixando queimar o jantar. Nada temam, já o fui salvar!

13 Comentários

  • Raquel Dias da Silva
    5 Junho, 2017 20:20

    Andreia, adorei conhecer-te! Gostei imenso de fazer o teu postal e fiquei tão contente quando percebi que és realmente uma miúda de festa: genuína e alegre! Sinto tudo o que aqui disseste, mas quero guardar os pormenores para o meu próprio testemunho. Assim que me for possível vou seguir o teu exemplo e também vou contar o que aprendi (e foi tanto, não foi?). Beijinhos cheios de saudades!

    • Andreia Moita
      5 Junho, 2017 20:30

      Obrigada Raquel. Gostei bastante de te conhecer também e sinto que ainda tens imenso para dar e mostrar! Até um próximo encontro de gente fantástica 😉😉😉

      • Raquel Dias da Silva
        6 Junho, 2017 19:26

        (Andreia acho que te vi hoje no Colombo por volta das 18h30!) Obrigada pelas palavras, fiquei com o mesmo sentimento em relação a ti e vou tornar-me leitora assídua deste teu espaço :)

        • Andreia Moita
          7 Junho, 2017 9:19

          18h30 estava no trânsito mas depois disso fui ao Vasco da Gama ahah

          • Raquel Dias da Silva
            7 Junho, 2017 18:09

            Disse Colombo mas queria dizer Vasco da Gama! Estou sempre a confundir-me! Acho mesmo que nos cruzámos! Eu tinha saído do Pavilhão do Conhecimento e estava a ir para casa!

  • Joana Sousa
    6 Junho, 2017 14:10

    Andreia, adorei, adorei, ADOREI conhecer-te! Essa tua energia não deixa ninguém indiferente. Sou tal como tu, nisso de agarrar as oportunidades, e desde a primeira edição do BC que percebi que vale a pena arriscar, ainda bem que fui!

    O que dizes da onda de energia positiva é tão verdade. Nós não nos conhecíamos, não tínhamos motivo nenhum para sentir necessidade de nos elogiarmos, e ainda assim fizemos isso com toda a força. E isso só prova que é genuíno! Assim vale a pena :)

    Jiji

    • Andreia Moita
      6 Junho, 2017 18:32

      Obrigada Jiji. Também gostei imenso de conhecer a tua força do Norte. Vou-te lendo até uma próxima vez! Bjs

  • Margarida Pestana
    6 Junho, 2017 20:39

    Minha querida Andreia, foi tão bom conhecer-te e receber essa alegria de viver toda que tens! Não tenho como não concordar com tudo. Foi tão bonito este momento que vivemos. Ainda tenho dificuldades em arranjar as palavras certas para descrever tantas emoções que sinto. Já sabes que estou aqui para irmos fazer coisas juntas, para te incentivar e aprender contigo! 🙏🏼

    • Andreia Moita
      7 Junho, 2017 9:18

      Estou super dentro para fazermos coisas juntas porque gostei muito da tua energia e daquilo que transmites! Eu vou te chatear, aí vou, vou!

  • The Brunette’s Tofu
    7 Junho, 2017 10:08

    E eu vou nessa onda e escreverei também com todo o meu amor: as coisas que aprendi no bloggers camp. Porque acredito que estamos todas assim: abananadas (e abananado) com toda a intensidade vivida. E sinto diariamente todo um carinho que veio connosco depois deste fim de semana tão gratificante. Adorei conhecer-te <3

    The Brunette’s TofuInstagram

    • Andreia Moita
      7 Junho, 2017 12:00

      Sinto isso mesmo. Foi de uma intensidade incrível. Obrigada Raquel

  • Ruth Miranda
    7 Junho, 2017 11:51

    Acho que poucas vezes me deparei com alguém dizer livremente que incentivamos pouco os outros, motivamos pouco os outros, elogiamos pouco os outros. Eu escuso-me a participar em iniciativas deste género primeiro pq NUNCA tenho dinheiro, segundo pq tenho sempre um enorme receio de me deparar com mais do mesmo: mais gente ressabiada que só está bem a deitar subtilmente abaixo o outro, mais gente passive agressive a desincentivar e desmotivar, mais pessoal que se acha e com pretensões de ser melhor que todos, sem nada mais a aprender e com muito pouca vontade de partilhar. Depois leio destas coisas e fico com a alma um pouco mais esperançada porque pelos vistos ainda há pessoas que sabem dizer bem.
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    • Andreia Moita
      7 Junho, 2017 11:59

      Olá, podes acreditar que o que vi e vivi foi uma coisa única e que não se vê em muitos lados. Fui às escuras, tal como escrevi, e estou muito agradecida às pessoas que conheci pelo que me ensinaram e uma dessas coisas foi precisamente isso que há pessoas boas, genuínas e criativas dispostas a apostar na partilha sem pretensões. Beijinhos e obrigada pelo comentário Ruth

Deixe uma resposta