A praia depois dos 30

A praia depois dos 30

Há poucas coisas na vida que mudam depois dos trinta anos. É verdade. Eu achava que o mundo se via com outra cor mas não. É só um número pesado, de resto pouca coisa se altera. Continuo a ter apenas um cabelo branco, não nasceram mais, estou tranquila. Há apenas uma coisa que me está a preocupar.

É a Praia e tudo o que ela envolve que me preocupa. E temos que falar sobre isto. Todo o mundo do verão muda, ora vejam:

  • Comer uma bola de berlim cai diretamente na coxa mais próxima e aloja-se lá por tempo indeterminado. Vou só demorar três meses e meio no ginásio para conseguir fazer com que ela desapareça. Estamos a falar de três meses e meio para uma bola de Berlim. Agora pensem o que vai acontecer a quem comeu três ou quatro como eu. Talvez em 2020 eu esteja recuperada.
  • Deitar no areal exige por certo uma almofada. O pescoço já não aguenta tudo. E aquele monte de areia de baixo da cabeça que antes ajeitávamos com as mãos… já não serve.
  • Precisamos de uma cadeira porque já não nos aguentamos das costas. A cadeira é o símbolo de que já não caminhamos para novos.  Assim que entramos num estabelecimento decididos a comprar a cadeira sabemos que estamos na fossa. Carregar a cadeira do carro até à praia com semblante carregado e meio envergonhado é o assumir das dificuldades por que passamos. Montar a cadeira e estarmos de facto sentados nela a ler um livro é um indicador de que já não temos 20. E toda a praia vai saber.
  • Ficar sentado na praia é o fim da picada por causa daquela saliência que se forma na nossa barriga devido ao primeiro ponto desta lista. E é então que nos vemos obrigadas a puxar da toalha para tapar dizendo que nos deu um ligeiro friozinho, sei lá estes verões já não são como antigamente!
  • Metemos protector solar. Pronto é um facto. Chegados aos trinta tomamos consciência da vida e começamos a por protecção na pele que antes só via protector de cenoura. A nossa cabeça começa a pensar aos trinta que talvez seja melhor meter proteção 50 na cara.

Ir para a praia começa então a ser um caso sério antes de sair de casa. Quando virem uma pessoa só com uma toalha debaixo do braço a caminhar para a praia é com certeza um adolescente de bem com a vida. Quando virem alguém carregado com geleiras de comida (saudável), toalha dentro do saco com uma almofada, um livro, mil e quinhentos cremes (um para cada parte do corpo), chapéu de sol e cadeira no regaço, montando um pequeno acampamento no areal, essa pessoa tem trinta anos e posso muito bem ser eu.

Digam-me… isto não pode piorar, pode? Como vão vocês para a Praia? O que levam?

2 Comentários

  • Susana
    8 Agosto, 2017 21:40

    Ah ah ah, só tu… 😉 uma toalha, um livro, água, um chapéu de sol e… um filho! Chega! 📖🍶🏖👠👱

  • Xana Nunes
    9 Agosto, 2017 9:36

    ahahahaha que comédia! tão verdade! Este ano já comi duas bolas de berlim e ainda só queimei metade da primeira ahahahaa

Deixe uma resposta