O melhor de Agosto

O melhor de Agosto

Agosto é por definição o meu mês do verão. Não podem, simplesmente, haver dias maus em Agosto. Exigo dias de sol intenso e de céu com luz que brilha. Quero sempre dias compridos para esticar sempre mais um bocadinho o passeio de pés molhados na areia. Quero dar mergulhos fora de horas porque sinto que cá fora ainda está quente.

Sei que há muita gente que não gosta de tirar férias em Agosto porque assim fica com a cidade livre. Compreendo, mas não descanso se não tirar os meus dias de sol de Agosto. Estes são os meus verdadeiros dias, os melhores dias. Os dias de construír memórias futuras com sorrisos pela mão. Esta é a minha cor preferida. A cor do verão.


Por isso mesmo, este Agosto, à semelhança dos outros, foi feito de dias de praia. Dias de esticar a toalha até ela já estar mesmo muito amarfanhada. Odeio deitar.me na toalha molhada, mas adoro ir ao mar. E vou mesmo muitas vezes. A água está sempre boa para mim. Portanto, a toalha nunca tem tempo de secar. E tenho um truque. Tenho uma toalha grande e quando vou ao banho deito-me num canto. A seguir deito-me no outro canto para o primeiro poder secar e eu ter sempre espaço seco na toalha. É meio parvo, eu sei. Mas o que é que querem? Não estou para me deitar na toalha fria e muito menos para carregar com toalhas suplentes. Vou lidando com estes meus delírios o melhor que consigo e esta foi a forma que encontrei. Sou a única?


Agosto continua a ser dos dias de salpicos de mar e de água doce. Não tive uma boia em forma de flamingo mas nem por isso me deixei abater e meti os flamingos nos pés. Nas terras algarvias também vi muitos unicórnios, melancias e ananases do meu coração. Parece que já não há barquinhos e os simples colchões de água.

Gosto de rechear este mês de porcarias para comer. É normal que se engorde um bocadinho com petiscadas ao final da tarde, gelados, bolas de berlim e bebidas adocicadas. Mas paciência, pensei que me preocuparia com isso depois. Mas enfim, o depois já chegou. Sabem aquela manhã de ressaca em que dizemos que nunca mais bebemos álcool? Assim estou eu a dizer que nunca mais na vida como bolas de berlim.


A propósito de comida, em Agosto fui a primeira a publicar a receita do projecto páginas salteadas, já viram? Fiz uns gelados bem saborosos. E que bonitinhos que me sairam, fizeram-me ficar altamente orgulhosa.

Agosto também é mês de férias e nas duas primeiras semanas li as 800 magníficas páginas de “Brisingr” de Christopher Paolini, que conta a história de Eragon. Já alguém leu? Este é o terceiro volume de uma saga de quatro. Falo da história quando terminar a saga completa. Mas não me fiquei por aqui. Nos dias que se seguiram li o “Destralhe a sua casa” e deu-me para fazer arrumações aqui por casa. Já há mesmo quem diga que estou louca com isto. Depois quero falar-vos disto. Li o “Escrito na água” que me durou pouco tempo porque é daquelas histórias que queremos saber quem é que afinal matou quem. É dentro do mesmo estilo do livro anterior da autora, mas talvez um pouco mais complexo. Depois numa noite descontraída no meu sofá li o “O Meu Oriente” da Jéssica Athayde e deixei os últimos dias do mês para o “Na boa” do Diogo Faro. Realmente, este meu Verão está a ser produtivo nas leituras, estou super orgulhosa de mim.

Resta-me agora deitar a toalha ao chão que Agosto estar a dar as últimas com as temperaturas a baixar. Inclusivamente até já choveu. Já não é o meu Agosto. Estou pronta a dizer-lhe “Até para o ano”.

img_2465.jpg

1 Comente

  • Rititi
    29 Agosto, 2017 15:46

    Foi um mês de agosto bastante intenso e sou como tu, férias têm de ser no mês de agosto ma confesso que há três anos que não consigo tirar as férias nesse período e chateia-me bastante! Mas ao menos tu aproveitaste e à séria e isso é o importante (tenho vontade de experimentar os teus gelados)! 😉

Deixe uma resposta