Páginas Salteadas | Gelados hygge de fruta

Páginas Salteadas | Gelados hygge de fruta

Hoje é dia de divulgar mais uma receita do Projecto Páginas Salteadas. Encerrei o desafio do mês passado e hoje dou início ao de Agosto e apresento-vos eu o livro escolhido. Para mim, à semelhança do livro anterior, também este foi um desafio mas não pelos mesmos motivos.

Eu li “O livro do hygge” em Fevereiro e podem ler aqui como gostei dessa experiência. Só que eu achei mesmo que o hygge era uma coisa de Inverno. Porque todas as suas descrições apelavam a isso. As velas, as roupas quentes e a chávena de chá. O hygge é tanto mais sentido quando mais confortável nos sentirmos. E eu associo muito isso ao tempo frio, quando precisamos de estar mais aninhados na nossa manta preferida a ouvir os barulhos da lenha a arder. O hygge não é difícil, é só fazer aquilo que já fazemos todos os dias mas gostar disso. Sentir isso.

Comecei a pensar em como podia aplicar o hygge no verão. No meu querido e amado verão. Eu sou muito mais pessoa de verão do que das sensações de Inverno e portanto não podia deixar que isto se transformasse num problema. Eu sou das horas infinitas, dos tempos compridos. Das peles com cheiro a mar e dos corpos com areia. Sou dos banhos de mar, do sol que se põe enquanto ouço música e me sento a comer petiscos sem olhar para o relógio. E sou das noites quentes sem casaco à procura de refrescos para o nosso coração. Sou das camas de rede que baloiçam os pés descalços. Eu sou do Verão e não tenho dúvidas que o meu elemento é a água. Que a minha vibração é a areia molhada, que a minha energia é o pôr do sol com o mar ao fundo. Sou mais feliz assim.

IMG_2381

E então surgiu-me a ideia mais simples de sempre porque “as coisas pequenas são sempre mais hygge do que as grandes”.

“o hygge implica sermos benevolentes connosco – um mimo para nós, para os outros, um intervalo nas exigências da vida saudável. Os doces são hyggeligh. Os bolos são hyggeligh. O café ou o chocolate quente é hyggeligh. Os palitos de cenoura, nem por isso. Faz parte do ritual hygge algo de pecaminoso, mas não deve ser fino nem extravagante.”

E foquei-me essencialmente em duas partes do livro: a que fala da comida e diz que as comidas hygge são as menos saudáveis. A comida para ser hygge tem que ter um bom refugado. Tem que ter um belo bolo com açúcar. Tem que ter scones com manteiga ou chocolate quente. É isso que atrai os dinamarqueses e em certa medida lhes conforta o estomago, logo conforta-lhes a alma também e por isso são felizes. Fui ver também a parte que fala da distribuição do hygge pelos vários meses do ano. Procurei e descobri que Julho é o mês dos piqueniques e Agosto é o mês de olhar o céu estrelado. Portanto podemos encontrar no verão o hygge também, na medida que o hygge é aquilo a que damos mais valor e nos deixa mais feliz.

“associamos certo tipo de alimento à sensação de prazer, o que nos faz querer mais. O hygge é algo que é bom e que sabe bem, portanto, se isso implicar que queremos comer um bolo, pois vamos comer bolo. Porém, e em simultâneo, temos de saber parar. Não é hyggeligh ter dores de barriga”

IMG_2362

IMG_2365

Receita dos gelados

A minha receita de gelados não está cheia de açúcar, podem comer à vontade. Mas fazê-los confortou-me o coração. Foi a primeira vez que os fiz e pensei aquilo ao pormenor. Se não tivessem ficado com aquele desenho que eu tinha imaginado na minha cabeça estava tudo estragado. Mas ficaram. É porque foi feito com dedicação. O único material de que precisei foram as formas em silicone da Sweet Selection. Os gelados são super fáceis de preparar, o difícil aqui é esperar algumas horas para eles irem ao congelador. Quando finalmente os pude provar, agradeci terem ficado além de bonitos, também tão bons. Agradecer é hygge.

“o hygge é o agora, como desfrutar do momento e tirar daí o maior partido. Acima de tudo, saborear é agradecer. Costumamos lembrar a nós mesmos para não tomar as coisas como dado adquirido. A gratidão é mais do que um simples obrigado quando se recebe uma prenda. É ter em mente que estamos a viver o agora, focarmos o momento e apreciarmos a vida que temos, concentrarmos-nos em tudo o que temos em vez do que não temos.”

gelado-de-mirtilos

gelado-de-pêssego

IMG_2376

IMG_2391

Explicação da receita

O hygge é sentir as coisas simples. Eu sinto muito o verão. O gelado é uma comida de verão e é um refresco para o corpo em dias quentes. Além disso os gelados trazem-me recordações de infância muito felizes pelo que achei que faria todo o sentido eles serem a minha comida hygge.

O Hygge é uma forma de estar. É viver em harmonia, em convívio e em igualdade. É prestar atenção, é encontrar pequenos prazeres em pequenas coisas. É agradecer, é fazer as pazes e promover as tréguas com o mundo. E é a sensação de aconchego, de refúgio, de conforto, segurança e bem estar. O hygge é ser mais feliz. E comer gelados é ser mais feliz.

“Podemos saborear, ouvir, cheirar, tocar e ver o hygge. Mais importante ainda, podemos sentir o hygge”

IMG_2392 

Vejam em que consiste este projecto e as bloggers brilhantes que o fazem em conjunto comigo aqui.

2 Comentários

Deixe uma resposta