Palavras quase perfeitas # Melancolia

Palavras quase perfeitas # Melancolia

Vi este um desafio por aqui na blogosfera em que quis imediatamente participar. Já começou em Janeiro mas para mim começa agora. A ideia é que a partir de uma palavra consigamos mostrar algo. Um texto a divagar, uma imagem, um objecto, uma canção. Há uma palavra que nos é dada na primeira quarta-feira do mês e nós mostramos o resultado na última quarta-feira.

Este é um projecto do blog A vida não tem que ser perfeita mas que se estende e convida todos os autores de blogs a participarem. E isto é tanto mais giro quanto mais gente se juntar, na minha opinião, porque depois poderemos ver os diferentes significados que a mesma palavra pode ter para cada um de nós. As regras estão explicadas aqui. A palavra de Março é Melancolia. E este é o meu texto:

Manhã de Inverno disfarçada de Primavera. Ela acordou mal disposta. Não uma má disposição física, mas uma má disposição emocional, uma coisa da cabeça. Do coração, um pouco, talvez. Um mal estar que lhe pedia calma. Que pedia para abrandar a correria das coisas da vida. Um mal estar que pedia bandeira branca. Às vezes andamos como barcos, a vaguear, sem encontrar caminhos. E precisamos de um momento de depressão.

Decidiu ficar deitada mais um pouco. Numa excitação inerte. Piscar os olhos era o único movimento que estava disposta a fazer naquela manhã. Há dias assim. Mas a vida não compreende que estejamos deitados só a vê-la passar. A vida é desejosa de acção. Ávida por aventuras novas. A vida não permite tempos destes melancólicos. Ela manda levantar.

Puxou os lençóis para fora. Pensou em fazer a cama de lavado. Hoje permitiu-se baixar a cabeça mas amanhã já não acordaria assim. Os dias melancólicos são os banhos da alma. São para nos lavar o cérebro como uma máquina de lavar em que as nossas ideias giram e contorcem-se. Existem para nos dar a volta à cabeça. Amanhã quando acordar esboçará um sorriso e seguirá para rua com uma nova atitude. De cara lavada. A melancolia tem um poder transformador se não deixarmos que se apodere de nós. Que ela venha se tiver que vir, que dure pouco e sirva para nos concertar a maneira de ver a vida. Chama-se a melancolia renovadora.

 

2 Comentários

  • Cris Loureiro
    29 Março, 2017 12:38

    Olá Andreia :)

    Obrigada por te juntares ao desafio 😉
    A tua melancolia é breve e na brevidade da vida há sempre espaço para momentos assim ♥ Tens razão: “a vida não compreende que estejamos deitados só a vê-la passar” :)

    Beijinhos
    Cris

    • Andreia Moita
      29 Março, 2017 12:41

      Obrigada eu Cris. Até à próxima quarta e à próxima palavra. 😃

Deixe uma resposta