Páginas salteadas | Massa com cenoura e camarão

Páginas salteadas | Massa com cenoura e camarão

Em Setembro escolhemos para o Páginas Salteadas um livro de histórias infantis. “A história de Pedrito Coelho” andou comigo este mês. E andei com ela às voltas na minha cabeça durante algum tempo. O Pedro é um coelho rebelde que gosta de correr riscos e esta é a típica história que começa com “era uma vez.”

Pedrito é um coelho traquina e que fez a única coisa que a mãe lhe pediu para não fazer. Quantos de nós já não ficámos interessados naquilo que não podemos ter? Que venha aqui o primeiro dizer que nunca teve vontade de fazer o que é proibido, fugir às regras ou brincar um bocadinho com o fogo. Quando somos crianças isso então é uma constante. Se dissermos a uma criança para não mexer ali, o que é que vai acontecer? Pedrito é assim e corre para a horta do Senhor Gregório assim que a mãe diz para não ir. E, claro, viu-se em apuros. Se não fossem os pardais a ajudá-lo estava perdidinho da vida. Depois de algumas peripécias e de ter perdido o seu casaco azul, Pedrito consegue chegar a casa, mas exausto, e fica de cama.

img_2918.jpg

“Oiçam, meus queridos – disse-lhes certa manhã a Senhora Coelha – podem correr pelos campos, mas não entrem na horta do Senhor Gregório.

A seguir a Senhora Coelha pegou num cesto e na sombrinha e atravessou o bosque em direção à padaria. Flopsi, Mopsi e Rabinho-de-Algodão, que eram umas coelhinhas muito bem comportadas foram pelos campos para colher amoras. Mas Pedrito, que era muito malandro, desatou a correr em direção à horta do Senhor Gregório e enfiou-se por baixo do portão!”

Este foi o livro mais difícil de interpretar e fazer uma receita. Eu estava a complicar. No início pensei num bolo mas mudei de opinião e fiquei muito feliz quando a Vânia nos trouxe a receita de bolo de iogurte que faz parte da infância de todos nós. Aqui no projecto Páginas Salteadas, umas das coisas mais giras é que nós não sabemos as receitas umas das outras pelo que é sempre uma surpresa descobrir como cada uma interpretou o mesmo livro. Quando comecei a pensar na receita que poderia representar melhor a minha infância as coisas ficaram mais fáceis. Quando me perguntavam o que é que eu queria para acompanhar o bife eu respondia sempre massa.

Receita de esparguete, cenoura e camarão

Ingredientes:

  • uma medida de esparguete integral
  • uma cenoura
  • camarões
  • sal, pimenta, alho e alecrim

img_2917.jpg

img_2915.jpg

img_2916.jpg

Preparação:

Espiralizar a cenoura e colocar de parte. Podem ver como fazer neste post. Cozinhar o camarão em cama de azeite, alho e ervas aromáticas numa frigideira. Por fim cozer a massa (durante o tempo que mais gostarem, eu prefiro cozer muito pouco) No final, quando estivermos a desligar o fogão, acrescentar a cenoura espiralizada na água, mas não deixar cozer. Decorar por cima com o camarão.

img_2914.jpg

img_2911.jpg

Explicação da receita

Em todas as histórias infantis se espera uma lição de moral. Pois nesta se o Pedrito se tivesse comportado bem estaria com os irmãos a desfrutar o jantar que a mãe preparou e não de cama e indisposto. Por isso eu pensei naquela comida que para mim seria reconfortante. E seria de certeza uma massa. Acredito que poderia ser a comida que deixaria também o Pedrito feliz.

A massa é a minha comida preferida e a mães fazem a comida preferida quando os filhos estão tristes ou doentes. Mas a minha massa tem que ser cozinhada de maneira diferente e só fica a cozer cerca de cinco minutos porque eu gosto dela quase crua. A minha mãe costuma dizer que mais vale eu comer diretamente do pacote. Já vos contei a minha história familiar com a massa aqui se quiserem recordar.

Sendo uma história infantil não podia ir por um caminho muito complicado na confecção da receita. Portanto além de ter usado o meu ingrediente preferido, acho que esta receita muito fácil de fazer. Quando eu quero encontrar conforto na comida, cá está, é massa que eu faço.

img_2910.jpg

Pedrito, quando estiveres melhor, pede à mãe que te faça uma massa. Às vezes temos que aprender as lições fugindo às recomendações que nos dão. Porque temos que correr riscos e chegar lá por nós próprios. Precisamos disso para construir o nosso ser. Há caminhos que só se fazem sozinhos. As mães devem saber isso. Por isso é que fazem sempre a nossa comida preferida para nos aparar as quedas.

Para verem as receitas das meninas talentosas que seguem comigo esta ideia é só irem aos blogs:

Lolly Taste

Às cavalitas do vento

Joan of July

7 Comentários

  • Classe Cappuccino
    11 Setembro, 2017 16:54

    Que ideia maravilhosa.

    • Andreia Moita
      11 Setembro, 2017 23:03

      Thank you! Bjs 😘

  • Ana
    11 Setembro, 2017 20:10

    Parece perfeito… não fosse a minha alergia ao camarão 😛

    • Andreia Moita
      11 Setembro, 2017 23:02

      Oh ana que pena. Sugiro cogumelos frescos para substituires. É muito bom também com alho e alecrim. Acrescenta queijo ralado por cima 😉

  • Maria João Almeida
    12 Setembro, 2017 12:06

    Que bom aspeto, Andreia! :) Tenho de experimentar.
    Adoro fazer esparguete e noodles com legumes. Esses espiralizadores foram a melhor invenção do mundo! (Antes era com o descascador ehehe)
    Gostei de teres incorporado a história :) Muito fofinha!
    Beijinhos!

    • Andreia Moita
      12 Setembro, 2017 12:14

      Obrigada Maria João. O nosso objectivo no Paginas Salteadas é sempre o de juntar a comida com a história. O espiralizador veio mudar muita coisa, traz novas ideias para as refeições e tudo, adoro! Bjs

  • Green
    22 Setembro, 2017 20:44

    Tem um aspeto maravilhoso :)

Deixe uma resposta