TAG 3 | Christmas

TAG 3 | Christmas

O primeiro post de Dezembro vem em forma de TAG, mas não é uma qualquer. Quis logo responder a estas perguntas porque são todas sobre o natal. Ou melhor, sobre a forma como vejo, sinto e vivo o natal.

Fui nomeada pela minha querida Rititi decidiu escrever para responder a estas treze perguntas sobre o natal. Eu entusiasmo-me muito com o natal, é uma época de que gosto, pelas cores, pelas luzes, pela presença que temos na vida dos outros e que os outros têm na nossa. Eu sei que as pessoas criticam o facto de se ter perdido o verdadeiro sentido do natal e só se fala em consumismo, mas eu acho que não tem que ser assim. Se nos mantivemos fiéis aos nossos princípios e valores durante o ano, também o podemos fazer no Natal. Se estamos com a nossa família, se gostamos de os mimar todo o ano, por que não agora também no natal? Se as coisas forem feitas com conta, peso e medida e as nossas ações e pensamentos estiverem em conformidade com aquilo em que acreditamos então a essência do natal não tem que ser perdida. Cada um deverá encontrar o seu sentido e sentir-se feliz com isso. Não defendo que a época seja vivida fervorosamente desde Outubro, acho isso, até mesmo bastante exagerado, mas em Dezembro deixem-me cantar as músicas que eu quiser à minha vontade.

Ora reflexões à parte vamos ao que interessa e vou começar a responder às perguntas:

Qual é o teu filme de natal favorito?

São todos os do “Harry Potter“. Eles são bons em qualquer altura do ano mas o natal é propício à magia. Também posso fazer batota e dizer todos os filmes da Disney. Gosto de os ver sempre, mas nesta altura ganham outra dimensão e energia. E todos é todos, mesmo, desde os mais antigos “Rei Leão”, “Aladin”, “Pocahontas”, “A pequena Sereia”, até aos mais novos como o “Frozen”.

Onde costumas passar o natal?

Durante os meus primeiros anos de vida passava com toda a família no café dos meus avós que ficava fechado só para nós. Éramos muito. As minhas primeiras memórias de natal são lá. E eu adorava. Quando deixei de ser a única criança na família, com o nascimento da minha irmã e depois dos meus primos, os natais passaram a ser em minha casa e em casa dos meus tios, alternadamente de ano para ano, mas sempre com a mesma família presente.

Qual é a tua música de natal favorita?

Tenho muita dificuldade em ter coisas favoritas porque gosto sempre de muitas. Devem ter percebido à pouco que eu não escolhi só um filme, não é? Também gosto de imensas músicas, mas vá vou arriscar e vou dizer que é o “Last Christmas”.

Abres os presentes na véspera de Natal?

Sim, sempre gostei de esperar até à meia noite depois do jantar do dia 24 de Dezembro.

Por que tradições estás mais ansioso este natal?

Ora bem, quando era pequena a minha mãe ensaiava canções comigo para eu cantar às pessoas na noite de natal. E eu cantava entre dentes, meio envergonhada. Era um grande momento. Acho que há vídeos disto, eu devia ter vergonha! Anos mais tarde formei com a minha irmã e os meus primos um grande espetáculo de natal para o qual ensaiavamos durante as férias todas. Cantávamos, gravávamos coisas, inventávamos sketches de humor (em que nós, os mais novos, gozávamos com o resto da família, um a um). Fizemos o nosso próprio telejornal de família cujas notícias eram os acontecimentos mais bizarros na família durante o ano. Na noite de natal vendíamos bilhetes à séria e dividíamos o dinheiro por todos. A nossa actuação era o grande momento da noite, aquilo por que todos esperavam. Hoje já estamos um bocado crescidos para o fazer, mas sempre havemos de encontrar alguma forma de divertir a família com alguma maluquice. Não é por ter trinta anos que deixo de fazer disparates, aliás, pretendo continuar a fazer parte das crianças da família mais ou menos até ter trinta e cinco.

Tens uma árvore de natal verdadeira ou falsa?

Tenho uma falsa e gosto. É pena só cá ficar um mês em casa porque dá uma trabalheira a montar e depois outra trabalheira ainda maior a desmontar.

Qual é o teu doce/comida favorita de natal?

Então é assim, aqui a esquisita de serviço gosta de comer o bacalhau mas com grão porque detesto a parte das couves. Gosto das fatias douradas, mas só as da minha mãe porque ela sabe que eu não gosto que fiquem demasiado moles. Gosto de bolo rei mas tiro as frutas cristalizadas ficando por isso com uma fatia sempre meio esburacada. Mas o meu doce preferido de natal são as filhoses que fazemos todos em família no dia anterior. Um faz a massa, outro estica, outro frita, outro mete açúcar e canela e assim passamos um bom bocado a sujar a cozinha. Enfim, mais uma tradição de natal.

Sê honesto, preferes dar ou receber presentes?

Oh caramba quem não gostar de receber presentes é um ovo podre. Eu gosto de receber, claro. Mas também gosto de dar e ver que a outra pessoa ficou mesmo satisfeita. É um dois em um.

Qual é o melhor presente que recebeste?

Não sei. Todos os natais recebo presentes importantes, que o marcam, acho eu. Quando era pequena recebia muitas barbies e todos os seus apetrechos. Também adorava receber as cassetes com os filmes da Disney. Uma vez recebi uma espécie de computador que funcionava com cartões interativos e brinquei imenso com aquilo. Também recebi um jipe para eu própria conduzir, devia ter uns oito anos e era um máximo. Hoje em dia gosto de receber tudo o que tenha a ver com fotografia, roupa e livros, por exemplo. Apontem!

Qual o lugar de sonho que gostarias de visitar no Natal?

Nunca viajei no natal, curioso. Não tinha pensado nisso. As cidades ficam sempre diferentes no Natal. Talvez fosse adorar ver a Disneyland vestida de natal.

Momento mais memorável das férias de natal?

Agora não tenho, mas quando tinha eram sempre passadas a ensaiar para o espetáculo de natal de que falei abocado, eheh,

Como é que soubeste a verdade sobre o pai natal?

Qual verdade? Estão a falar de quê? Oh eu sei que dizem que dizem que o pai natal não existe, mas devia! Não me lembro, por isso não deve ter sido traumático. Gostava de ter uma história fantástica sobre isto mas não tenho. A única coisa de que me lembro bem é que toda a gente insistia imenso para eu dar um beijinho ao pai natal. Acontece que eu odiava dar beijinhos a estranhos e o pai natal era um estranho, portanto era uma fita para lhe dar um beijo e passava o tempo inteiro escondida atrás das pernas da minha mãe ou do meu pai ou da pessoa que estivesse mais próxima para me safar daquele pesadelo. Ele acabava sempre por lá deixar os presentes pelo que acho que a coisa acabava por correr bem para o meu lado.

És uma pró a embrulhar ou um fail completo?

Sou uma máquina de embrulhar presentes e adoro! Faço mesmo questão. Às tantas devia fazer um part-time disto.

E pronto acabaram-se as perguntas. Agora que eu estava tão embalada. Deviam fazer mais coisas destas que isto é giro. Desafio, agora, a contarem sobre os seus natais, os seguintes blogs:

Another lovely blog

Messy Jessy

As coisas dela

Viver num T0

Greenland

4 Comentários

  • Rititi
    6 Dezembro, 2017 13:44

    Fechei automaticamente os olhos e tentei imaginar-te a cantar para a familia e deu-me muita graça! Claro que fazemos parte do lote de crianças até aos 35 ou 40, que são os novos 20!

    Há passatempo a decorrer no blogue, espreita se quiseres ganhar uma prendinha de natal antecipada! Beijinho e boas festas miúda! *

  • As coisas dela
    6 Dezembro, 2017 17:02

    Está a dar-me uma nostalgia tão grande ler esta TAG 🙂 Irei responder o quanto antes. Beijinhos*

  • Green
    6 Dezembro, 2017 22:42

    Adorei esta tag pela forma como está feita e por fazer relembrar o passado e os tempos felizes que passámos nesta época mágica que é o Natal. Adorei as tuas respostas e agradeço a nomeação, vou responder o quanto antes 🙂

  • Daniela Soares
    9 Dezembro, 2017 15:22

    Ahaha, esses espetáculos de Natal deviam ser um máximo.:P Fico feliz de não ser a única a não me lembrar de como descobri essa fatídica notícia de que o Pai Natal não existe…

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

Deixe uma resposta