Junho

Junho

Junho sempre foi o meu mês. O meu preferido. Eu sei este mês ainda não acabou mas reservo-me o direito de já poder falar sobre ele. 

Junho sempre me trouxe alegrias. É o que sempre me fez festejar sendo que essa é a minha natureza. Junho é a época sagrada dos Santos Populares, festa da qual eu gosto muito ou não tivesse eu nascido no mesmo dia em que se festeja um deles. Junho é o mês em que nasci e por isso adoro a música nas ruas e as pessoas à volta da mesa. E talvez por isso, os meus pais sempre me fizeram mais do que uma festa de anos.

Em Junho começa o verão, época por excelência onde eu sou mais plena. O calor é a minha luz natural e a conjugação da areia com o mar, que me conquistam na praia com o cheiro a protetor solar, fazem desse o ambiente onde me sinto mais feliz. Neste mês comecei a namorar a pessoa mais espetacular de sempre! Já fez doze anos e somos felizes. É mês de conhecer pessoas novas e fazer amizades. É um mês em que gosto de estar de férias, talvez porque era sempre nele que começavam os dias de descanso na altura da escola. Gosto dele para refletir e pensar nas minhas coisas, sendo o meio do ano, parece-me sempre a altura certa.

Este ano Junho não me trouxe só coisas boas. Trouxe-me uma coisa má. Não me digam que não há coisas más. Há! Porque perder alguém nunca pode ser chamado de “menos bom”. Este Junho perdi o meu avô. Mas decidi que continuará a ser um mês especial. Talvez mais um bocadinho ainda. Porque este Junho me dará para sempre as lembranças felizes dos dias em que ele esteve comigo, sentado do lado direito do sofá, à janela, a ver os carros passar lá em baixo, ou à sombra da barraca, a comer uma maçã, naquela mesma praia onde vou continuar a ir.

Ontem fiz anos. E voltei a reunir os meus amigos do coração e que sei que são os melhores do mundo. Que sempre estão presentes em todas as ocasiões da minha vida. E voltei a ter minha família toda que mostrou que tudo se faz, que tudo é possível. A grande lição dos trinta e um. Se estiver calor abre a janela. Se não cabe mais uma cadeira apertem-se. Pode-se sempre cantar os parabéns mais uma vez.

Obrigada a todos pelo carinho neste dia. O dia de São João continua a ser o melhor do ano. Cheguei aos trinta e um… agora aguentem-me.

6 Comentários

  • Catarina (Joan of July)
    25 Junho, 2018 10:59

    Identifico-me tanto com o que dizes neste texto, Andreia! Chegou Junho e eu já pareço uma pessoa diferente daquilo que fui o resto deste ano. Sinto-me muito mais eu, muito mais feliz e livre e isso tem muito a ver também com a chegada do sol e os primeiros dias de praia. Não há como negá-lo: os dias quentes e o mar são o nosso elemento!
    Não tinha conhecimento da tua perda e lamento muito, querida.
    Adorei a tua lição dos 31. :)*

    Parabéns mais uma vez!

    • Andreia Moita
      29 Junho, 2018 9:31

      Verão combina mesmo bem connosco, não tenho nenhuma dúvida disso. Que pena que ele não quer saber de nós este ano (por enquanto).
      Obrigada querida Cat.
      Beijinho

  • Green
    25 Junho, 2018 13:41

    Parabéns pelos 31, que venham muitos mais e sempre felizes 🙂

    • Andreia Moita
      29 Junho, 2018 9:30

      Obrigada. bj

  • Dezoito
    26 Junho, 2018 10:30

    Lamento imenso pelo teu avô mas lá está, deves relembrar-te das melhores recordações que tens com ele, neste mês. Os meus parabéns pelos 31 anos (não diria que já tinhas essa idade, nem 18 te dava ahah) e que venham muitos mais. Beijinhos

    http://www.dezoito.pt

    • Andreia Moita
      29 Junho, 2018 9:30

      Adoro não parecer “tão” velha ahah
      Obrigada querida pelas palavras.
      Beijinhos

Deixe uma resposta