A kéké e a right buddy

A kéké e a right buddy

Estive a pensar em fazer umas perguntas à Raquel, como já tenho feito aqui no blog. Mas não. Não quis fazer-lhe uma entrevista porque queria ser eu a dizer o que ela é. Queria ser eu a dizer-lhe que me inspira e me motiva pelas minhas palavras. Que o seu trabalho é muito valioso no blog e no resto que está para vir. E queria também fazer-lhe uma surpresa.

A Raquel já confessou aqui por exemplo que nem sempre tudo foi cor de rosa na sua vida. Passou por alguns momentos maus, como todos nós temos os nossos. Mas a história de cada um define-se pela maneira como damos a volta. A nossa personalidade constrói-se na altura em que sabemos lidar com adversidades e a nossa vida começa realmente na altura em escolhemos o lado bom e aprendemos a ser felizes.

Eu não conheci a Raquel nesta fase em que escreveu o seu livro “o que me vai no coração”. Tinha navegado no seu blog com o nome The Brunette Tofu na altura, uns meses antes do Bloggers Camp, onde a conheci. Hoje o blog chama-se Kéké e é a sua imagem perfeita. A Raquel é apaixonada por sítios bonitos, demora-se em novas experiências e gosta de terminar os dias feliz. Eu conheço a Raquel de agora que é a uma luz cor-de-rosa para mim. E já lhe disse. Fico feliz pelo que é ela é hoje. Pelo que fez e pelo que tem feito. Hoje ela é uma miúda feliz e dedicada a motivar e a inspirar as pessoas para que sejam felizes e se aceitem como são. Como ela se aceitou. E sei que ainda não lhe conheço todas as partes. Porque ela ainda tem muitas coisas para me mostrar e ensinar. Este texto que ela escreveu é um dos meus preferidos porque ela diz que o mundo é quem sonha. Tenho aprendido muito com ela. Tenho me deixado levar!

Sinto-me muito encantada quando estou ao pé dela. Como se todas as coisas do mundo fossem possíveis. Como se fossemos todas lindas e capazes. Como se o mundo fosse para nós. É o que ela me diz, é esta a energia que ela me dá. E é assim que eu me sinto quando estou com ela. Capaz e feliz. Devemos procurar e manter pessoas como ela na nossa vida. Foi uma coisa que aprendi no Bloggers Camp este ano. Mas eu não a procurei. Só a encontrei. Deve ser pela luz de presença dela, pelas palavras que diz e pelas coisas em que acredita.

A Raquel criou a empresa Right Buddy só com o seu poder mega mágico de acreditar. Mais nada. É uma louca. Mas das boas. E eu gosto disso. Isto é o sonho da vida dela. Reuniu pessoas em quem confia e lhe são próximas na vontade de criar e chama de “colibris” às pessoas que querem voar com ela. Porque ela acha que um pequeno colibri, que é o nós somos, pequenos pássaros no mundo, pode fazer a diferença. A Right Buddy é uma agência de comunicação que assenta em valores como a sustentabilidade, o ambiente, a diversidade e a igualdade. E vai prestar serviços de identidade gráfica, branding, comunicação e marketing (através de serviços de branding pessoal e sessões de clareza. Design, fotografia, vídeo e gestão de redes sociais) de produção de eventos para empresas e de eventos de cariz social e de branding Institucional e gestão da responsabilidade social corporativa

A Right Buddy actua em três frentes, a responsabilidade animal, social e ambiental. E recorrendo aos serviços deles 10% do lucro em qualquer projeto será doado a uma causa à escolha. E isto é feito com o coração da Raquel e de todos os que trabalham com ela. Para conhecerem todo este mundo é só irem à apresentação da empresa no dia 30 de Setembro, na Terra dos Sonhos, a partir das 17h. A entrada é grátis e vai estar cheio de surpresas este dia, vejam aqui o programa. Eu vou lá estar. E aviso já que vou abraçar a Raquel durante algum tempo. Tirem a vossa senha para abraços.

img_3463.jpg

2 Comentários

  • Kéké
    22 Setembro, 2017 14:58

    Meu amor, o que te hei-de dizer? Ando aqui às voltas enquanto procuro palavras para descrever a gratidão que carrego no peito. É imensa, sabes isso tão bem.
    No que depender de mim, caminharemos sempre juntas, de mãos dadas e com este brilho incansável nos olhos.
    A amizade é tão isto, sabes? E eu tenho um conceito de amizade um tanto ou quanto elaborado. Passei muito tempo comigo própria e hoje deparo-me cheia de gente de olhos bonitos ao redor. E é tão bom.
    Porque ser feliz é isto: acordar e ler palavras tão bonitas quanto estas.
    A ti, o meu gigantesco obrigada, do fundo do coração.

  • Green
    22 Setembro, 2017 20:32

    Não conhecia, que interessante.

Deixe uma resposta