Palavras (quase) perfeitas | Gratidão

Palavras (quase) perfeitas | Gratidão

No início do ano tentei fazer um exercício de gratidão. Sou sincera, não resultou. E explico porquê. Eu segui um plano que me perguntava uma coisa por dia a que eu estava agradecida. Uma tecnologia, um cheiro, um som. Como se fosse obrigatório naquele dia eu lembrar-me. E isso não me fez sentido nenhum.

Agradecer deve ser um acto refletido e consciente

A gratidão é algo que devemos praticar quando sentimos necessidade de ver o mundo de outra forma. Começamos a encarar a vida com mais consciência quando agradecemos mais o que temos e reclamamos menos do que não temos. E penso que isso é um processo gradual. Não nascemos a pensar desta maneira. Vamos adquirindo conhecimentos que nos dão esta sabedoria e maturidade.

Acredito que o acto de agradecer fará sentido em certa altura da nossa vida. Ou seja, penso que em determinada fase começa a dar-se um clique nas nossas cabeças. É como um despertar para a gratidão. E eu, com este desafio, cheguei à conclusão que deveria agradecer de acordo com aquilo que eu sinto e nunca sob uma imposição. Não estamos todos prontos para agradecer. Eu mesma, talvez, ainda não esteja. Ainda sou muito inconformada. Ainda sou muito insatisfeita. Ainda tenho a mania da revolução.

Ao longo deste ano tentei ser mais positiva e dar atenção às coisas boas. Foi a minha premissa de 2017. Queria muito continuar a fazer isso no ano que vem acrescentando o facto de saber agradecer por essas mesmas coisas. Experiências, aprendizagens, aventuras, momentos, pessoas.

O que é para mim a gratidão? Aprender a reconhecer os momentos certos e focar-me neles

Porque é que tudo o que é mau é uma catástrofe e o que é bom é uma coisinha de nada? Talvez o desafio aqui não seja, então, encontrar essas coisas, mas sim aprender a valoriza-las. Sei de muitas pessoas que não se deitam sem antes escrever ou pensar nos melhores momentos do seu dia e agradecer por eles. Gostaria de me focar nisso também porque acredito que possa tornar a minha maneira de ver o mundo mais leve e fácil e ao mesmo tempo fazer de mim uma pessoa melhor.

Tenho que encontrar a minha maneira de ser mais grata. Porque cada um deve encontrar o seu próprio método de sentir conforto. Trabalharei nesse sentido no próximo ano. E vocês? De que maneira praticam a gratidão? Por que coisas estão gratos? A quem ou a que agradecem?

Este texto faz parte do desafio Palavras quase perfeitas, criado pela Cris Loureiro. Podem ver mais textos sobre Gratidão no Cantinho da Tily.

3 Comentários

  • Green
    27 Dezembro, 2017 17:51

    No final do ano passado li algures sobre um desafio que achei interessante. O desafio consistia em, todas as semanas, escrever uma coisa boa que me aconteceu e guardar o papel. Tenho um frasco cheios de papel que quero abrir em 2018. Acho que se pode considerar uma forma de agradecer, pois semana a semana fui escrevendo coisas pelas quais sou grata.

    • Andreia Moita
      27 Dezembro, 2017 18:05

      Acho bastante interessante a essa iniciativa. Não só é uma forma de agradecer como é uma forma de nos tornamos positivos e de nos abrir os olhos para as coisas boas.

  • Matilde
    1 Janeiro, 2018 9:28

    Gostei mesmo muito das tuas palavras, querida Andreia, agradecer torna tudo muito mais facil e simples 🙂
    Bjinhosss
    Feliz 2018 🙂
    https://matildeferreira.co.uk/

Deixe uma resposta