Distrações

Distrações

Vamos lá ver, eu não sou uma pessoa que se esquece das coisas. Eu sou distraída. É diferente. E Isto está a piorar, claramente, a descontrolar-se, até. Tenho uma lista de distrações recorrentes já. E merecem tanto destaque que vou até escrever sobre elas.

Eu não gosto nada de me considerar uma pessoa distraída. Mas é um facto sobre mim. Já nem sequer é daqueles que ninguém sabe. Porque, vejamos, as distrações não são coisas propriamente fáceis de esconder. E eu nem faço questão, na verdade, se não não estaria aqui a expor-me. Mas não gosto de ter esta característica. Mas como é que se faz para parar com isto?

É extremamente cansativo ser Andreia Moita. Digo-vos sinceramente. E vou passar a explicar as coisas bizarras que aconteceram e que explicam como é ser eu.

histórias trágicas sobre distrações (e não esquecimentos)

Preciso de um cartão para entrar no meu local de trabalho. Esse cartão está no carro. Tem lá lugar cativo. Levo-comigo durante o dia, mas no final da jornada pernoita no carro para lá estar no dia seguinte. No fim-de-semana resolvi, sabe-se lá porquê, não me perguntem, trazê-lo para casa dentro da mala. O que é que aconteceu, mulheres deste país, que me vão compreender? Troquei de mala. Claro!!! Segunda-feira de manhã cartão nem vê-lo.

Entretanto fui almoçar. Levei casaco. No final do dia reparei que não tinha casaco. Passaram horas sem eu dar pela falta dele. E sabia perfeitamente onde o tinha deixado. Ir embora e deixar alguma coisa para trás? História da minha vida.

No ginásio, por exemplo, acontecem as minhas piores histórias. Só ir ao ginásio, só por si, já é um acto de terror, pronto, isso é verdade. Mas estou a falar da quantidade de coisas que já me esqueci de levar (ou melhor que por distração e não levei, porque como disse, anda disto são esquecimentos, estão a ver?!) Cadeado, ténis, shampoo, soutien. Já costumo deixar tudo dentro da mala de forma permanente para estas coisas nunca me faltarem, como já vos mostrei neste post. Acrescentei recentemente um item à lista. A garrafa de água.

É absolutamente cansativo não saber onde estão os elásticos do cabelo, o cabo para carregar o telemóvel ou os óculos de sol. Alguém com distrações (e não esquecimentos) por aí, que possa compreender este drama permanente na minha vida?

1 Comente

  • Green
    5 Novembro, 2018 22:56

    Por acaso nesse aspeto sou muito certinha e não me costumo esquecer de nada. mas o meu namorado é bem parecido contigo, estou familiarizada com o género 🙂

Deixe uma resposta