michelle obama

Não sei bem porquê mas desde que saiu o livro “Becoming” que o quis ler. Não tinha nenhuma fixação nem seguia de perto a vida da Michelle Obama, mas a verdade é que tive curiosidade em saber como é que uma mulher normal de um momento para o outro enfrentou a exposição mediática e logo por ser a mulher do presidente de umas das maiores potencias mundiais.

Nunca tinha lido uma biografia. E quis começar com esta. Eu sentia que a vida da Michelle Obama podia de alguma forma ter algo a dizer-me. Admirei bastante aquilo que acompanhei durante os mandatos de Barack Obama como presidente dos EUA e da Michelle como primeira dama. Mas na verdade eu não sabia nada da vida deles. Foi uma surpresa enorme e que eu eu adorei ler.

Michelle Obama, de um bairro em Chicago para a Casa Branca

Através das primeiras páginas deste livro conhecemos a Michelle criança num bairro de Chicago. Somos apresentados à mãe, ao pai e ao irmão com quem vivia. Sabemos das tricas familiares. Assistimos à sua entrada da universidade, e aos primeiros amigos e amores.

Barack Obama só se cruza com ela na altura em que já trabalhava numa sociedade de advogados. E como se de um filme se tratasse assistimos ao primeiro encontro, ao pedido de casamento e ao nascimento das suas filhas.

Aos mesmo tempo que vemos uma profissional independente e com sonhos de sucesso, também reconhecemos que Michelle Obama se torna uma mãe extremosa e uma esposa dedicada. É num turbilhão de emoções, que descreve, com mestria, neste livro as qualidades de Obama e fala sobre a sua entrada discreta no mundo da política.

Ainda que não tenha sido o futuro que ela queria para a sua família Michelle Obama apoiou todas as etapas politicas do seu marido. Mas não anulou as suas próprias causas. Pelo contrário adaptou-as e levou-as consigo, para a nova morada. Michelle Obama despediu-se da sua vida como a levava antes, mas não largou aquilo em que acreditava.

O verdadeiro girl power

Eu sabia que queria ler este livro por ser uma história de uma mulher, Uma mulher que fez as suas próprias escolhas, mas que a determinada altura da sua vida teve de saber lidar com uma escolha que não foi dela. O marido decidiu enveredar pela política. E candidatar-se a presidente dos Estados Unidos. Mas será que foi mesmo assim?

Acho que não. Ela não teve que arcar com uma escolha dele. Ela escolheu aceitar a escolha dela. Estão a perceber o que quero dizer? Ela tem a minha admiração imensa por causa disso. Porque ela escolheu estar com ele. Enfrentar uma nação com ele. E mesmo assim ela escolheu não abandonar as suas causas. Pelo contrário ela usou o seu novo papel na sociedade para lutar por aquilo e em que acreditava.

Ser primeira.dama implicou mais do que ela alguma vez imaginou. Eram muitos eventos oficiais. Eram mudas e trocas de roupa a toda a hora. Eram seguranças que a seguiam dentro e fora de casa. Mas o pior de tudo era sentir que condicionava a vida das filhas de alguma maneira. Que na escola eram as filhas de alguém em vez de ser elas próprias. Mas com força e energia deu a volta também a isso e criar duas crianças da forma mais livre que conseguiu. É incrível ler todas as partes em que fala das filhas e o do que sentia sobre o futuro delas.

“Becoming” é um livro real sobre uma mulher na sociedade actual

Já li vários outros livros sobre mulheres empreendedoras, como o “#Girlboss“, e sobre o papel delas na sociedade em tempos anteriores a este em que vivemos, como “Mulherzinhas“. Mas este livro é sobre uma mulher actual, que ocupou um lugar de destaca na sociedade mundial e o fez de força admirável.

Acho que conseguiu chegar às pessoas. Caso contrário, não quereria ler este livro. Michelle Obama assumiu vários papeis durante aqueles oito anos. Conseguiu impor a sua presença independentemente da de Barack. Isso é admirável porque ela foi a Michelle Obama independentemente de ser mulher do presidente. Conseguiu com enorme preserve rança, humildade e inteligência ser mulher e mãe, além de ser primeira-dama.