Fim-de-semana sem gastar (muito) dinheiro

Fim-de-semana sem gastar (muito) dinheiro

Há duas coisas que toda a gente está sempre a repetir. “Não tenho tempo” e “não tenho dinheiro”. Não é possível que sempre que se queira fazer alguma coisa no fim-de-semana, ou na vida em geral, se tenha de gastar o preço de um rim. Caraças se não hei-de encontrar coisas para se fazer ao fim-de-semana sem gastar (muito) dinheiro.

Li numa das edições da In the moment, revista que compro sempre, que é necessário recuperar o fim-de-semana. Porque ele está perdido a partir do momento em que passamos os nossos dois dias de descanso a estender a roupa e a limpar o pó. Como é evidente, sei que essas coisas têm de ser feitas, mas se analisarmos passamos grande parte do fim-de-semana a fazer as coisas chatas que não temos tempo de fazer durante a semana e não aproveitamos para fazer aquilo para que fim-de-semana efetivamente serve.

Eu não passo sem um plano. Tenho de ter sempre tudo delimitado e saber o que vou fazer. Depois quando não acontece já podem prever a desgraçada, o pânico, o horror, a histeria. Estou a tentar melhorar e não ser tão obcecada com os planos mas é todo um processo que demora.

Dicas para um fim-de-semana sem gastar (muito) dinheiro:

Eu digo sem gastar muito porque há coisas para as quais, irremediavelmente, pode ser preciso algum dinheiro. Se eu sugerir almoçar na varanda em vez de na esplanada do café – a comida embora mais barata no supermercado do que no restaurante, implica gastar dinheiro – mas pronto é comida, precisamos para viver. O mesmo acontece se eu disser para irem à praia com a marmita de casa (que é o que eu vou fazer) ou para fazerem um piquenique no parque, implica sempre gastar qualquer coisa. Mas acho que percebem a ideia e por isso vamos lá.

Fazer um brunch caseiro:

Eu adoro brunchs e já fui a alguns na bela Lisboa que gostei imenso e quero repetir. Mas acontece que a maior parte dos brunchs são caros (e eu percebo porque agregam o pequeno-almoço e o almoço) e assim não podemos ir todos os dias que nos apetece. Vai daí a minha sugestão é fazê-lo mesmo em casa. Preparem uns ovos mexidos ou cozidos, partam um abacate e juntem no pão. Umas papas de aveia, umas panquecas, um sumo de frutas, cereais com iogurte, uma salada, um bolo. Há tantas opções para criar o nosso próprio brunch.

Fazer exercício:

Não é para se esfalfarem a levantar pesos, por deus, o que seria. Uma caminhada ou corrida, cada um escolhe o que melhor se adapta a si, num sitio bonito que gostem está bastante bom. Ou andar de bicicleta para quem tem. Começar assim a manhã por exemplo é uma coisa de que gosto bastante e é de graça. E é bem mais interessante do que se fecharem no ginásio ao fim-de-semana, no qual realmente também se paga uma mensalidade.

Visitar museus:

Há museus com entrada gratuíta ao domingo. Acho uma excelente oportunidade para um  passeio cultural quando o verão não nos deixa ir à praia ou para quem não gosta. (Parece que é verdade, há, de facto, pessoas que não gostam de praia, eu não acredito, mas que as há, há.)

Passeio a pé:

Porque não ir para o centro da cidade e dar um passeio a pé sem nada especifico para ver ou visitar. Andar só e olhar as coisas à volta. Não estou a falar à toa, eu de vez em quando faço isso e divirto-me a tirar fotografias às janelas de Lisboa.

Atividades em família:

Sabem os jogos tradicionais escondidos na arrecadação? Tragam-nos para casa. Na minha família uma tarde a jogar cluedo e temos um dia perfeito. Se não, recorram a jogos em conjunto da PlayStation ou das Wii da vida e cantem, dancem e riam-se muito uns dos outros.

Livros / filmes / séries /youtube:

Aproveitar para ler no sofá, na varanda, no jardim, qualquer coisa. É só uma sensação maravilhosa ter tempo para ler um livro ou revista. A mesma coisa com um filme que se anda a adiar ou uma série que se andem a seguir. Podem ver aqui as series que gosto, mas recomendo La Casa de Papel se ainda não viram. (Say Whaat?!).

Mudar a decoração da casa:

Atenção, eu não disse “comprar” coisas novas. Disse mudar. Dá trabalho? Dá, mas no final também dá satisfação e parece que temos uma casa nova. Trocar as coisas de lugar é a minha principal dica, é básico, mas funciona e é de borla.

Isto até pode parecer muito simples e coisas que toda a gente sabe. Mas é essa ideia. A verdade é que estamos sempre a dizer que precisamos de dinheiro e tempo para tudo. Eu estou. E afinal, é possível passar um fim-de-semana descansado. Nem que seja a fazer uma sesta, sei lá, que nunca temos tempo para isso e ainda não se paga.

Que outras dicas de coisas que possam fazer sem gastar dinheiro é que vocês têm? E o que vão fazer este fim-de-semana?

3 Comentários

  • Green
    6 Julho, 2018 14:45

    Gostei muito das tuas dicas e sugestões, sem dúvida que faz todo o sentido agendarmos com tempo para podermos aproveitar e fazer coisas interessantes sem gastar muito.

  • Letícia Fernandes
    9 Julho, 2018 14:05

    É tão fácil aproveitarmos o fim-de-semana sem gastar muito dinheiro. É só preciso um bocadinho de criatividade e muita disposição. 🙂
    Um beijinho.

  • Dezoito
    9 Julho, 2018 14:48

    Adoro passear e fazer exercício. Outra coisa que tenho feito é ouvir música e ver filmes/séries. Beijinhos

Deixe uma resposta